Tudo o que você precisa saber sobre masturbação.



O que é masturbação?

A masturbação é o ato da estimulação dos órgãos genitais, manualmente ou por meio de objetos, com o objetivo de obter prazer sexual.

O termo foi usado pela primeira vez pelo médico inglês e fundador da psicologia sexual, Dr. Havelock Ellis, em 1898. [1]



A Masturbação interfere no ganho ou na perda de Massa Muscular?

Não, como defende o Doutor e Especialista em Medicina interna Pedro Pinheiro, não há efeitos colaterais [3], portanto o ato masturbatório não causa nenhuma influência significativa no ganho ou na perda de massa muscular, afirma o Médico Urologista Dr. Ricardo de La Roca [11]

Em relação ao período da adolescência é importante saber:

“O mito de que a masturbação em excesso emagrece não é verdade, pois a repetição frequente do orgasmo não faz perder tantas calorias assim e nem debilita o organismo. O emagrecimento referido é consequência da ação dos hormônios masculinos que, na adolescência, estão a todo vapor e, por serem anabolizantes, queimam a gordura e aumenta a massa muscular.” Completa o Dr. Ricardo de La Roca[11]

Conclusão: A Masturbação não interfere significativamente no ganho e nem na perda de massa muscular.

Qual a influência da masturbação no desenvolvimento sexual e psicológico do individuo?

Salienta-se que a masturbação faz parte da evolução sexual normal dos adolescentes e as diferenças constatadas entre meninos e meninas são determinadas pelas sensações sexuais que, nos jovens, estariam concentradas em seus órgãos genitais, e, na mulher, em vários pontos do corpo, mais generalizadas (Whaley & Wong, 1985).[12]

Alguns psicólogos defendem a masturbação na adolescência como essencial para o auto conhecimento das zonas erógenas e da sua resposta sexual desde que não seja em excesso ou se torne numa obsessão. [1]

“O comportamento compulsivo, porém, é comum no ser humano e não é desencadeado pela masturbação. Existem pessoas que são compulsivas em lavar as mãos, e não é por isso que vamos considerar o ato de lavar as mãos viciantes.” Afirma o Médico Especialista Dr. Pedro Pinheiro.[3]

Nos casos onde a masturbação é praticada em excesso ou quando a sua prática provoca fortes sentimentos de culpa, pode adquirir uma dimensão patológica, com conseqüências prejudiciais para a saúde psíquica. O que acontece é que, muitas vezes, a moral religiosa – extensiva aos valores da família – atribuiu ao ato da masturbação um significado de pecado, de vergonha e de culpa.[13]


Conclusão: A masturbação é uma fase natural da evolução sexual humana e tem papel importante como um meio para conhecer melhor o próprio corpo e a resposta sexual.

Deve-se apenas evitar a prática em excesso que pode evoluir para um comportamento compulsivo, porém a masturbação não é viciante, e a compulsão quando acontece é causada pela natureza compulsória do próprio homem, e não pela masturbação em si.
Deve-se também evitar os sentimentos de culpa que podem fazer mal para a saúde psíquica, estes sentimentos geralmente são provocados por crenças negativas condicionadas socialmente, seja pela comunidade ou pela religião fazendo com que a pessoa acredite que se masturbar é errado ou que faz mal a saúde, ou seja, novamente o responsável não é a masturbação, e sim o efeito psicológico da própria pessoa.

A Masturbação interfere nos níveis de testosterona?

Um estudo diferenciado, conduzido recentemente, obteve resultados conclusivos sobre este assunto. Pesquisadores da Universidade de Nevada, nos Estados Unidos, mostraram que os níveis de testosterona em participantes do sexo masculino tiveram um aumento significativo após a atividade sexual ou masturbatória, ou seja, o efeito é contrário ao que se esperava.[5]

E após uma investigação, a Psychology today descobriu que a ejaculação não causa, de fato, uma importante influência significativa sobre os níveis de testosterona no sangue. [9]

Na verdade esta investigação ainda chegou a mesma conclusão que a Universidade de Nevada, os níveis de testosterona aumentam no momento da masturbação ou de uma relação sexual, e após um período de tempo voltam a níveis normais,[9] O instituto fisiológico de pesquisa, Academia Scientiarum Bohemoslovaca, também chegou ao mesmo resultado em um estudo realizado por eles, os níveis de testosterona aumentam no momento da masturbação, e após um período de tempo retornam a níveis normais. [10]

Conclusão: A masturbação não causa nenhum efeito significativo nos níveis de testosterona.

A Masturbação causa indisposição física ou mental?

O Doutor e Especialista em Medicina interna Pedro Pinheiro, afirma que a masturbação não provoca nenhum efeito colateral a saúde mental ou física, ou seja, a masturbação não pode causar indisposição física ou mental [3]


Ricardo Guerra, Mestre em ciência da fisiologia do esporte pela Liverpool John Moores University, afirma que, Essa velha teoria de que sexo ou masturbação próximas a data de uma prática esportiva afetam o desenvolvimento do esportista , teoria esta promovida e defendida principalmente por técnicos de boxe,não tem nenhuma comprovação cientifica, na verdade os últimos estudos comprovam o contrário, ao invés de diminuir os níveis de testosterona como era de se esperar, o sexo mas a masturbação aumentam os níveis de testosterona.[5]

Uma outra crença popular, defendida por muitos técnicos da velha guarda, é que o sexo causa demasiado dispêndio energético, podendo causar fatiga antes de um jogo afetando a capacidade fisiológica ou o desempenho esportivo de forma negativa, porém estudos comprovaram que o dispêndio energético em uma relação sexual é insignificante, e na masturbação é mais insignificante ainda.[5]

Como algumas pessoas então se queixão de indisposição física após praticas masturbatorias?

A resposta pode estar relacionada ao fato psicológico, ao invés do fisiológico como a maioria das pessoas acreditam.

Num Estudo de Crenças relacionadas a masturbação, realizado pela universidade Federal da Paraiba entre Alunos de uma Escola da Rede Pública de João Pessoa, foi mapeado uma lista com as crenças negativas e positivas mais comuns relacionadas a masturbação, entre as crenças negativas dos estudantes, a que mais se destacava era o fato de acreditarem que a masturbação provocava fraqueza ou indisposição.[6]

E existe um conceito muito conhecido na medicina e na psicologia chamado efeito placebo, e que claro, pode interferir também no ato masturbatório, o efeito placebo é o efeito mensurável ou observável sobre uma pessoa ou grupo, ao qual tenha sido dado um tratamento placebo. Muitos acreditam que o efeito placebo seja psicológico, devido a um efeito real causado pela crença ou por uma ilusão subjetiva. [7]


Ou seja, quando se acredita muito no efeito de algo sobre você, aquela crença pode se tornar auto-realizadora, e acabar surtindo o efeito esperado em seu corpo, então é muito provável que as pessoas que relatam se sentirem casadas e indispostas após se masturbarem, se sintam assim não por causa da masturbação em si, e sim, por causa de um efeito placebo causado por suas próprias crenças.

Lógico que logo após a masturbação, ou até mesmo depois do sexo, surja um cansaço, muito justificável pelo gasto da energia, afirma o Sexologo Daniel Denardi [8] e que é comum em qualquer pratica física seja ela qual for, e o corpo, neste caso da masturbação, se recupera naturalmente após um curto espaço de tempo.

Conclusão: a masturbação não causa nenhum efeito colateral seja de cansaço físico ou mental, o cansaço quando acontece não é fisiológico e sim de origem psicológico, causado pelo efeito placebo provocado pelas crenças negativas da própria pessoa.

Masturbação diminui a libido ou o apetite sexual?

Não, muito pelo contrário. “Desejo sexual não ‘gasta’”, garante o Dr.Fernando Almeida. “Não importa quantas vezes você se masturbe, não vai haver qualquer redução na libido”, afirma o urologista. “A não ser que um rapaz se masturbe e queira ter uma relação sexual minutos depois. Daí, realmente, não vai dar. Precisa esperar um pouco”, orienta o Doutor.[2]

Pois após a ejaculação o homem tem o que se chama de Período Refratário, fenômeno este não identificado nas mulheres. É um tempo de relaxamento necessário para que ele possa reiniciar novamente a atividade sexual. [4] 

Conclusão: A Masturbação não diminui a libido ou o apetite sexual, a não ser que você queira transar minutos depois de ter ejaculado, neste caso você terá que esperar alguns minutos para se recuperar e reinicia a atividade sexual novamente, mas essa perda da libido é temporária e referente ao período refratário após a ejaculação, portanto é irrelevante.

Masturbação faz mal para saúde?

“Masturbação não faz mal nenhum”, afirma o médico Fernando Almeida, professor de urologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). E isso é verdade tanto para homens quanto para mulheres. “Do ponto de vista médico, não existe qualquer problema”, afirma a ginecologista Arlete Gianfaldoni, médica assistente do Hospital das Clínicas de São Paulo. [2]

“A masturbação não causa nenhum problema à saúde, seja física ou mental, é natural e saudável em todas as idades e sexos, contanto que não seja compulsivamente ou em público” diz o Dr. Pedro Pinheiro, Médico formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especialista em Medicina Interna pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) [3] 

Conclusão: A masturbação não provoca nenhum tipo de efeito colateral ou dano a saúde.


Tudo o que você precisa saber sobre masturbação. Tudo o que você precisa saber sobre masturbação. Reviewed by Vitor Lessa on sábado, outubro 19, 2013 Rating: 5

Nenhum comentário

Filmes