Header Ads

Curiosidades sexuais da vida dos animais, que você provavelmente não conhecia.


Com exceção dos humanos e uma ou outra espécie de macaco, a maioria dos primatas possui um osso no pênis chamado báculo.

O pênis dos chimpanzés dificilmente ultrapassam os 7 cm; o dos gorilas, 5 cm.

O menor pênis entre os mamíferos terrestres é o do musaranho, com apenas 5 mm. Já o maior é o do elefante, que pode chegar a 1,5 m de comprimento.

O maior pênis do reino animal é, sem dúvida, o da baleia-azul, com 2 m. Detalhe: ele possui, no máximo, 50 cm de circunferência. Outro detalhe: os testículos pesam 10 kg.

O pênis do elefante africano mede, em média, 150 centímetros.

O pênis dos golfinhos é capaz de agarrar objetos, funcionando como uma mão.

O polvo e a lula usam um dos seus tentáculos como membro reprodutor.

O órgão reprodutor dos caracóis fica no pescoço. Além do mais, esses animais são hermafroditas.

Algumas espécies de tubarão possuem dois pênis.

As fêmeas da hiena possuem uma espécie de pseudo-pênis. Isso dificuldade um pouco a vida dos machos. Para copular, eles precisam introduzir o seu pênis no pseudo-pênis da parceira.

O orgasmo do porco pode durar até 30 minutos.

A vida sexual do hamster começa aos 45 dias (isso mesmo: dias!) de idade. O macho é capaz de copular com seis fêmeas num único dia.

Verdadeiros tarados, é isso o que os golfinhos machos são. Além de copular várias vezes ao dia, eles tentar fazer sexo com objetos inanimados, tartarugas… Bandos de machos também cometem estupros coletivos.

O cio da fêma do chimpanzé dura 34 dias. Nesse período, ela transa cerca de mil vezes. Detalhe: com vários machos.

As leoas são algumas das mais conhecidas ninfomaníacas da natureza. Não sem motivos: quando estão no cio, elas podem fazer sexo 140 vezes num só dia. Isso dá mais ou menos uma transa a cada 15 minutos.

O pequeno rato-marsupial da Austrália chega a transar até 12 horas seguidas. Ele produz tanta testosterona que ela prejudica seu sistema imunológico, levando-o à morte cerca de 10 dias após o acasalamento.

O mamífero com a gestação mais longa é o elefante, que dura 22 meses.

Já o de gestação mais breve é a do bandicut, um marsupial de nariz curto. Ela dura apenas 12 dias.

A gestação da égua dura 336 dias – 11 meses – o que a torna mais longa do que a humana.

Os caramujos de água doce são, em geral, hermafroditas.

Quando a fêmea do peixe-palhaço (eles são conhecidos pelo desenho Procurando Nemo) morre, o macho assume o seu lugar transformando-se em fêmea.

O comportamento gay (no caso, relação sexual e/ou coabitação com indivíduos do mesmo sexo) já foi registrado em cerca de 1,5 mil espécies de animais – insetos, aves, crustáceos e, como não podia deixar de ser, mamíferos.

Cerca de 25% dos machos da espécie cisne-negro são considerados gays. O interessante é que os casais de machos procriam com a fêmea e, depois que ela botou os ovos, cuidam eles (!!!) mesmos dos filhotes. Por serem mais fortes, os casais de machos garantem os melhores territórios, o que dá aos filhotes maiores chances de sobrevivência.

Um terço das fêmeas das albatroz-de-laysan se unem em casais lésbicos para criar os filhotes. O detalhe é que elas são mais sucedidas na criação dos filhotes do que as mães solteiras.

Os cisnes negros e os albatrozes-de-laysan são apenas duas entre as 70 espécies de aves que formam casais do mesmo sexo. Esse tipo de união também é comum em dezenas de espécies de mamíferos, inclusive leões e elefantes.

Por falar em zebras, foram registrados casos de indivíduos da espécie que jamais tiveram qualquer tipo de relação com o sexo oposto.

Os biólogos chamam a atenção para o fato de que alguns animais são exclusivamente gays e outros apenas tem relações gays (o que não significa que sejam homossexuais). Foi provado, inclusive, que os animais tem “relações gays” por diferentes motivos: para reforçar a hierarquia, para pedir desculpas, para reforçar alianças, para aprender sexo, para cuidar dos filhotes (caso do albatroz-de-laysan), "por engano" e por prazer.

Um caso conhecido de sexo homossexual para reforçar a hierarquia é a das morsas. Os machos dominantes “montam” nos dominados apenas “para dizer quem manda no pedaço”. Os bisões-macho também usam o sexo para reforçar a dominação do líder do grupo.

Tecnologia do Blogger.