Opinião: Legalização da maconha (pontos positivos, e negativos)


O que não se para de falar é nas mudanças que poderão ocorrer no Brasil, a partir do momento que a maconha for legalizada e descriminalizada, o aborto liberado, e a prostituição considerada uma profissão, com direito a "bolsa" (dinheiro no fim do mês no valor de R$2,000 por profissional).

No dia 26/04 aconteceu em São Paulo a marcha da maconha, a onde os manifestantes pedem a legalização da droga no Brasil. Muitos ali presentes não estavam somente em busca da legalização, estavam em busca da descriminalização da droga, que o seu uso, não seja considerado crime, o que vem preocupando muita gente, caso seja aprovada.


E o brasileiro não vem em busca deste "direito" apenas aqui no Brasil, os protestos continuam fora do país. Brasileiros residentes em países a onde a droga já é legalizada fazem protestos, e distribuem cartazes e fotos pela internet, como um círculo de pedido mundial. Porém, alguns medos de outros países relacionados ao Brasil, estão crescendo. Um deles é que a marginalização, e transporte indevido, e venda para menores não seja controlado.


O que muitos não sabem é que a maconha é a droga com menos efeito moral, e diferente da cocaína, leva-se mais de uma vez para se viciar por completo. Um em cada dez casos de prisão, estão relacionados ao trafico de drogas, seja ela qual for.


Mas, não seria direito de todo mundo escolher o que quer para sí ? Acho eu (opinião pessoal); que a maconha é algo que deveria ser sim liberada, para que quem quisesse usar que usasse. Faz da própria vida, quem quer fazer, não será o governo que irá tirar esse direito das pessoas, ou sim? Não foi o governo que deu o direito de liberdade de expressão? De falar o que quiser sem sentir represálias, ou ser atacado por aquilo ? Tirar o direito de escolher o que se quer para si, é como calar a voz de uma pessoa que quer se expressar. Como dizia a jornalista Rachel Sheherazade "Não se constrói princípios e direitos, em cima do direito dos outros..."



- O descontrole será inevitável: Como o governo irá filtrar o uso da droga? Pensam em legaliza-la, mas como será? Ao ar livre? Todos poderão usar livremente um em cada ponto de esquina, até que não haja mais nenhum ser viciado ? Você provavelmente deve ter ouvido alguma vez na vida "Tudo o que é para o mal, vem fácil, mas as coisas divinas...Você precisa lutar para recebê-las". E é a verdade, se querem legaliza-la, que ao menos estabeleçam regras. No Uruguai a maconha é usada dentro de estabelecimentos fechados, e o uso individuo fora destes locais pode levar a prisão.


- Aumento da violência e roubo: Mais da metade dos relatos de quem usa ou já usou diversos tipos de drogas, relataram que começaram pela maconha, e foram induzidos a outros tipos de drogas, e assim começaram a matar, roubar e até ameaçar membros da própria família. E para onde esse dinheiro vai ? Para os bandidos comprarem mais drogas, viciarem mais pessoas, comparem armas, escravizar pessoas, comprar policiais corruptos.



Uso medicinal
O médico e professor da Unesp, Dartiu Xavier da Silveira, contou ao R7 que muitas pesquisas foram realizadas pelo mundo nos últimos 50 anos sobre o uso terapêutico da maconha. No entanto, pouquíssimos desses estudos têm origem brasileira ou são voltados para a situação da droga no País.
— Aqui existem muitas restrições a esse tipo de estudo, temos uma legislação muito medieval.
Silveira participou de três pesquisas que envolviam o uso medicinal da maconha no tratamento de pessoas com câncer (que estejam passando por quimioterapia), para redução de alguns tipos de tumores cerebrais e no tratamento de dependentes de crack.
— As três pesquisas mostraram resultados impressionantes, favoráveis à maconha. Os resultados foram até publicados em revistas internacionais e tiveram grande impacto no meio acadêmico.
Violência
De acordo com Abramovay, o dinheiro da venda da regulamentada poderia ser redirecionado para o Orçamento da educação ou para da saúde. Hoje, os lucros da maconha são destinados ao financiamento do crime organizado.
— Após a legalização no Colorado [Estados Unidos], apenas no primeiro mês de venda de maconha legal, foram arrecadados mais de R$ 4 milhões (US$ 2 milhões) em impostos.
Se por um lado a regulamentação poderia contribuir com o bem-estar social, por outro, Terra lembra que liberação da maconha também pode influenciar nos casos de violência doméstica.
— Grande parte dos problemas que envolvem violência doméstica está ligado ao consumo do álcool, que é legal. Se for legalizado o uso da maconha, que também mexe com a percepção do usuário, esse tipo de violência vai aumentar.
Uso e acesso às drogas
Ainda segundo Terra, o uso da maconha torna o cérebro mais receptivo a outras drogas.
— Cerca de 83% dos usuários de crack, cocaína, heroína e ópio começam primeiro com a maconha e, a partir do uso dela, começaram a usar outras drogas mais pesadas, com efeitos mais intensos.
Já Abramovay considera que o motivo para esta alta porcentagem não é o uso da maconha, mas o contato com o mercado de drogas.
— O traficante que vende maconha é o traficante que vende crack, cocaína. O jovem que queria apenas consumir maconha acaba sendo empurrado para consumir outras drogas. É como ir ao supermercado comprar arroz e acabar levando uma batata frita porque viu ela lá.
Informações: R7 | G1 | Wikipedia.
O texto é uma contradição, se você o leu, percebeu que eu dei a minha opinião, e várias outras opiniões negativas ao longo do texto, que deixou implícito a minha real opinião. Se trata apenas de vários pontos que tratam dos pontos negativos e positivos do uso e liberação da droga no pais, para a reflexão de cada um a respeito do ponto de vista de cada um.

Outros países:

O México se mostra cético em relação às mudanças na lei uruguaia como forma de combater o tráfico de drogas. "As mudanças de estratégias unilaterais não oferecerão uma solução para um problema que ultrapassa fronteiras", afirmou recentemente o chanceler mexicano José Antonio Meade. 
Uma lei federal de 2009 já havia descriminalizado o porte de pequenas quantidades de maconha. Agora, o país estuda a criação dos "clubes de cannabis", cujos membros poderão cultivar e levar consigo até 30 g da erva para consumo próprio.
No Paraguai, maior produtor de maconha da América do Sul, o presidente Horacio Cartes é contrário à legalização da maconha. 

— A situação do tráfico de drogas não vai mudar com a legalização de uma droga. É uma utopia.  
Enquanto isso, seu governo promove um centro de pesquisa para estudar as propriedades da maconha visando a elaborar políticas de Estado com uma base científica.
O Paraguai tem entre 10 mil a 15 mil hectares de cultivo de maconha com baixo custo de produção e é um país onde, historicamente, se contrabandeia todo tipo de artigos, desde armas e cigarros até automóveis e drogas

Atualmente, 18 Estados norte-americanos permitem o uso de maconha medicinal. Desde novembro de 2012, Colorado e Washington também admitem o uso de pequenas quantidades (até 30 gramas) de maconha com fins recreativos. 

Jack Finlaw, principal assessor jurídico do governo do Colorado, informou, em outubro deste ano, que o Estado passaria a aceitar solicitações para abrir estoque de maconha recreativa e antecipou que as primeiras licenças para esse negócio serão emitidas no início de 2014. 
— Mas não se trata de regular a maconha como se regula o álcool. No caso da maconha, as regras são aplicadas desde a semente até a venda

Na Califórnia, a maconha medicinal já é legalizada, mas parte da campanha para aumentar a disponibilidade da droga, ampliar seu uso medicinal e finalmente legalizá-la está sendo feita por um setor inesperado da sociedade. 
As mulheres do Clube da Maconha de Beverly Hills se descrevem como "da alta sociedade". Elas usam a droga por razões médicas e dizem querer dar "uma nova face" à luta pela legalização

A Argentina está na vanguarda da América Latina em temas como aprovação do casamento homossexual, mas não parece ainda pronta para seguir os passos de seu vizinho uruguaio. Recentemente, o secretário de Segurança argentino, Sergio Berni (foto), considerou que a legalização da maconha é "digna de ser estudada", mas acrescentou que este ainda é um tema muito complexo, que deve ser analisado com responsabilidade. 

No último sábado (7), foi apresentado um projeto na Câmara de Deputados da Argentina que propõe a descriminalização da posse desta substância, atualmente proibida, e do cultivo de maconha para uso pessoal.   

O projeto, apresentado pela legisladora governista Araceli Ferreyra, foi elaborado em parceria com a associação Mesa Nacional para a Igualdade e a Agrupação de Agricultores Cannábicos Argentinos. 
— Desde a sanção da atual legislação sobre as drogas, em 1989, 400 mil jovens foram vítimas deste sistema perverso de perseguição, extorsão e criminalização diante da figura da 'posse' e sua formulação vaga e ambígua, desta forma, o projeto prevê principal atenção a este fato

Na Índia, o porte de maconha, que é usada tradicionalmente por devotos do deus hindu Shiva, pode levar à prisão e ao pagamento de multa. As penas variam de acordo com a quantidade de erva que a pessoa flagrada carregar. 
O vilarejo de Malana (foto), no Estado de Himachal Padresh, está atraindo turistas indianos e estrangeiros devido ao tráfico da erva, que se transformou na nova força da economia local e popularizou o local. 

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.