A comoção causada pelo arrependimento | Filme: Orações para Bobby

Foto: O verdadeiro Bobby e sua mãe.
Ontem em uma rede social qualquer que eu utilizo, um amigo meu veio me perguntar como era a minha visão sobre Deus ao homossexualismo, em outras palavras: Como era o meu pensamento sobre a condenação ou não condenação de homossexuais pela visão Cristã.


Vale ressaltar que sou homossexual (gay, né?) e ele também é. Porém a minha visão é mais rígida que a da maioria. Então, ele para amolecer meu coração e minha visão que é completamente cega, neutra e imparcial, me indicou um filme para ver que falava sobre o assunto que falávamos "A condenação do homossexualismo perante Deus".

O filme "Orações para Bobby" fala exatamente deste assunto que discutíamos em chat. Bobby é um garoto que ainda está descobrindo a vida, que tem uma bela namorada, uma linda família e ainda está no comecinho de sua vida com seus apenas vinte anos de idade.

Com o passar do tempo, Bobby começa a se sentir meio estranho consigo, com as pessoas ao seu redor, com os casais, e com sua namorada, chegando até não ir para o "próximo estágio" com ela. Então cai a ficha: Ele era gay, e tudo aquilo era muito confuso para ele, toda a sua família é muito conservadora e rigorosa nas questões bíblicas, então por estar cercado por uma rotina de oração, louvor e igreja, ele começa a se martirizar, os seus pensamentos eram os mesmos que eu tive a um tempo atrás sobre como eram os olhos de Deus sobre mim, e se ficar com outro homem era realmente algo certo.

A partir do momento em que a família passa a saber do que se passa na cabeça de Bobby, eles rapidamente procurando uma ajuda psicológica para resolverem o assunto da sexualidade do filho, isso inclui: Orar por ele enquanto ele dormia, ou até mesmo no trabalho, e espalhar milhares de bilhetes pela casa falando sobre o quão grande é o amor misericordioso de Deus para conosco, o incentivando a "orar mais" e a não se deixar cair na tentação.

O filho começa a sofrer, e começa a deixar a família toda aflita, pela aflição que se passava ali dentro com a condição do filho, mas a única incomodada naquele momento (e durante todo sempre) era a mãe. Por mais que amasse seu filho, ela não o aceitava de forma alguma, e em uma de suas discussões, chegou a dizer "Eu não quero um filho gay", e o deixando completamente sem chão. Aquelas palavras doeram muito em mim como telespectador, eu me vi ouvindo aquilo da minha mãe, e me deu uma angustia imensa, porém: Minha mãe me aceitou com um pouco de tempo, e não foi nada fácil, mas hoje em dia ela me compreende e nunca me disse algo que me magoasse de tal forma.

Agora para não dar spoiler do que vai acontecer no filme, eu quero que você assista e compartilhe comigo suas emoções: O que achou do filme? Espera que ele fosse como foi ? Se identificou com algo, ou conhece alguém que passa pelo mesmo ? Não se acanhe! Busque ajuda, busque conselhos ! Estamos sempre dispostos a ouvir nossos leitores que passam pelo mesmo problema que Bobby passou. Ah! O filme é baseado em fatos reais, tudo ocorreu realmente, e tudo foi doloroso como descrito no filme.

Não deixe que seu preconceito acabe destruindo o que você ama. Gay também é gente. Conheça antes de julgar e não se fundamentalize completamente em seus pensamentos homofóbicos manipulados por uma mídia barata de internet, jornal, televisão ou por conversa de vizinha. A vida é além daquilo o que se pode ver com os olhos. Esses dias eu disse uma frase que veio em meu coração, e acho que todos nós devemos adota-la para a nossa vida "A beleza que me atraí, não tem reflexo ao espelho".

Veja o filme completo, dublado em português:


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.