A queda - As últimas horas de Hitler


A queda: As ultimas horas de Hitler é um filme produzido na Alemanha em 2004 que relata os últimos dez dias de vida de Adolf Hitler no Führerbunker em 1945.O filme foi escrito por Bernd Eichinger, baseado nos livros escrito pelo historiador Joachim Fest, pela secretária pessoal de Hitler, Traudl Junge, por Gerhard Boldt, Ernst Günther Schenck e Siegfried Knappe.

A queda, ou a batalha de Berlim foi a última batalha ocorrido no teatro de guerra Européia durante a segunda guerra mundial. Ela foi resultado da maciça ofensiva soviética contra as forças alemãs no início de 1945. Seu planejamento previa o lançamento simultâneo de diversos ataques no leste da Europa, desde o mar Báltico até a região dos Cárpatos, com o intuito de invadir os países ainda ocupados pelos alemães e chegar a Berlim e terminar a guerra antes que os Aliados Ocidentais entrassem na capital do Reich. A batalha durou de abril de 1945 até o início de maio. Em um dos últimos dias da batalha, Adolf Hitler cometeu suicídio. Poucos dias depois Berlim se entregava. Por fim, a Alemanha se rendeu seis dias depois do fim da batalha.

Após a invasão à União Soviética em 1941 a Alemanha e seus aliados começaram a tomar força nas batalhas e tirar frentes nazistas do poder de determinadas regiões entre elas podemos citar boa parte da Hungria, embora Budapeste ainda estivesse sob controle dos Alemães. Com um plano muito bem arquitetado a União Soviética conseguiu encurralar mais de 200.000 soldados alemães em Varsóvia.

No entando, o coronel Heinz Guderian, chefe do estado-maior do exército alemão insistia junto a Hitler que um ataque soviético em qualquer ponto da frente oriental teria como resultado o calapso da mesma, contudo, Hitler insistia que a frente oriental teria que se manter com as forças disponíveis e recusou-se a permitir retiradas para áreas mais defensáveis na retaguarda.

Josef Stalin, premiê da União soviética já estava com tudo pronto para chegar a capital alemã e acabar com o reinado dos nazistas e de seus Aliados Ocidentais. O plano era avançar com ataques simultâneos no amplo front oriental marcado para o dia 20 de janeiro, a ofensiva foi antecipada para o dia 12 do mesmo mês a pedido dos aliados ocidentais. Estes estavam envolvidos em uma grande operação para conter o ataque alemão na região das Ardenas, Bélgica, e pediram ajuda aos soviéticos para aumentarem a pressão sobre o flanco leste de Wehrmacht (forças armadas alemães) de forma a aliviarem a pressão sobre si. 

O poder de fogo e os armamentos utilizados pela União Soviético eram tão poderosos que os mesmos conseguiram acabar com o reinado dos nazistas em apenas cinco dias, trazendo assim, a liberdade à Varsóvia. Logo então as forças alemãs começaram a bater em retirada, com o exército vermelho da União Soviética logo atrás, aqueles que não conseguiram fugir por algum motivo específico foram cercados e obrigados à se render.

Enquanto Rokossovski invadia a Prússia, Hitler acreditava que tinha que manter o controle da situação por meio de um contra-ataque ao norte, na região da Pomerânia, contra o flanco exposto do Primeiro Front Bielorrusso. Guderian insistiu junto a Hitler para que o general Walther Wenck comandasse a ofensiva. Hitler preferia colocar o comando da operação nas mãos de Himmler. Entretanto, após acalorada discussão com seu chefe do estado-maior, o Führer concedeu com que Wenck comandasse o ataque. Os alemães conseguiram reunir 1.200 tanques e blindados para a operação de ataque. A falta de combustível e munição todavia fazia os oficiais acreditarem que o ataque não poderia ter objetivos ambiciosos. Se conseguisse trazer algum alívio para civis e soldados situados diante dos exércitos de Rokossovski e Zhukov, já seria meritório. Por fim, os alemães lançaram a ofensiva no dia 16 de fevereiro. No dia seguinte, Wenck sofre um acidente de automóvel e o comando passa ao general Hans Krebs. Logo o Segundo Exército de Tanques de Guardas do Primeiro Front Bielorrusso torna a empurrar os alemães de volta às suas linhas de partida.
Em 30 de Março os soviéticos entram na Áustria. Viena é forçada a rendição em 13 de Abril após quatro dias de luta.
No início de abril, Berlim se encontrava ameaçada pelo sul com a travessia do Oder pelas forças de Konev. Agora bastava um movimento das tropas do Primeiro Front Ucraniano de cercar a capital alemã pelo sul e um movimento similar da frente dirigida por Zhukov pelo norte que Berlim cairia isolada do restante do país.

Morte de Hitler


Morte de Adolf Hitler ocorreu em 30 de Abril de 1945, normalmente aceita-se que foi suicídio por arma de fogo e também envenenamento por cianeto. O duplo método de suicídio e outras circunstâncias que rodearam o evento incentivaram rumores de que Hitler teria sobrevivido ao final da Segunda Guerra Mundial, tendo fugido para um país da América do Sul onde teria morrido com uma doença incurável, tendo sido um sósia a morrer no bunker em Berlim. O mesmo teria acontecido com Eva Braun, sua noiva, com quem teria se casado pouco antes do suicídio (Braun teria se casado com ele somente depois de jurar "fidelidade" e prometer que se mataria junto com ele), juntamente pelo fato de que nunca foram encontrados seus restos mortais, incentivando mais especulações


crítica


Todo um contexto histórico maravilhoso, rico em informações sobre o final da segunda guerra mundial e como o triunfo da verdade e dos verdadeiros guerreiros sobre os impetuosos nazistas reinaram. 

O filme tem pouco mais de duas horas e meia - um pouco cansativo - mas vale muito a pena dar um play e conferir esta obra prima.

 

Meus sinceros agradecimentos ao portal SóHistória, e a nossa querida e fabulosa Wikipédia pelas incríveis informações que contribuíram diretamente para a realização desta publicação, e claro, ao adorocinema por todo o contexto do filme.

A queda - As últimas horas de Hitler A queda - As últimas horas de Hitler Reviewed by Vitor Lessa on quarta-feira, junho 15, 2016 Rating: 5

Nenhum comentário

Filmes