[RESENHA] DEUS, UM DELÍRIO - RICHARD DAWKINS


Titulo: Deus, um delírio
Autor: Richard Dawkins
Páginas: 528
Editora: Companhia das letras
Ano: 2007
ISBN:8535910700


Num tempo de guerras e ataques terroristas com motivações religiosas, o movimento pró-ateísmo ganha força no mundo todo. E seu líder é o respeitado biólogo Richard Dawkins, eleito recentemente um dos três intelectuais mais importantesdo mundo (junto com Umberto Eco e Noam Chomsky) pela revista inglesa Prospect. Autor de vários clássicos nas áreas de ciência e filosofia, ele sempre atestou a irracionalidade de acreditar em Deus, e os terríveis danos que a crença já causou à sociedade. Agora, neste 'Deus, um Delírio', seu intelecto afiado se concentra exclusivamente no assunto e mostracomo a religião alimenta a guerra, fomenta o fanatismo e doutrina as crianças.
O objetivo principal deste texto mordaz é provocar: provocar os religiosos convictos, mas principalmente provocar os que são religiosos “por inércia”, levando-os a pensar racionalmente e trocar sua “crença” pelo “orgulho ateu” e pela ciência.
Dawkins despreza a idéia de que a religião mereça respeito especial, mesmo se moderada, e compara a educação religiosa
de crianças ao abuso infantil. Para ele, falar de “criança católica” ou “criança muçulmana” é como falar de “criança neoliberal”
— não faz sentido.
O biólogo usa seu conceito de memes (idéias que agem como os genes) e o darwinismo para propor explicações à tendência da humanidade de acreditar num ser superior. E desmonta um a um, com base na teoria das probabilidades, os argumentos que defendem a existência de Deus (ou Alá, ou qualquer tipo de ente sobrenatural), dedicando especial atenção ao “design inteligente”, tentativa criacionista de harmonizar ciência e religião.

Deus um delírio é um livro de não ficção escrito pelo biólogo, cientista e filósofo Richard Dawkins que ficou conhecido como o pai do ateísmo do século XVI com suas publicações polemicas - Deus é um delírio, é uma delas.

Neste livro, Dawkins associa a imagem de Deus, ou de um ser benevolente e maravilhoso, pai da criação como uma ilusão, e ainda diz em seu livro: 

Quando uma pessoa tem um delírio, chama-se a isso 'insanidade'; quando muitas pessoas sofrem de um delírio, chama-se a isso 'religião'.
Segundo Dawkins, a religião é maior male de toda humanidade, e usa argumentos nada novos e muito menos inovadores para defender sua ideia/hipótese de que o cristianismo/islamismo e o judaísmo contribuíram fortemente para que o mundo tivesse toda massa de desgraça e genocídio e pessoas inocentes.

Deve-se levar em conta que as ideias de Dawkins não estão associadas somente no seu campo filosófico, mas também na biologia - A qual acredita e prega, já que a biologia tem uma teoria com fundamentos históricos, enquanto o único fundamento dos cristãos ou de qualquer outra religião para explicar a existência de tudo o que existe no mundo está em apenas um livro, sem bases sólidas devendo acreditar-se em uma verdade que não é mutável.

Dawkins também afirma de forma irrevogável a sua crença de que a religião é uma fábula infantil contada para crianças enquanto existem fortes evidências que provem o contrário dos ensinamentos religiosos.

O livro não é todo mau e muito menos ateísta ao extremo, Dawkins aborda no primeiro capítulo suas teses sobre a inexistência de Deus e dedica-se nos capítulos seguintes fazer severas críticas à moralidade que a igreja costuma pregar em seus templos.

Dawkins acredita que somente ateus podem ser civilizados, ponderados, intelectualmente realizados, pois o ateísmo é uma ciência saudável e inteligente. Condena abertamente também a rotulação por parte da igreja e de seus membros nas crianças não devendo às rotular como: Crianças judias, crianças evangélicas, crianças católicas desde pequenas, já que se fossem "Crianças ateístas" ou agnósticas não seriam vista com bons olhos na sociedade, então por que não permitir a criança crescer sem pressão e escolher no que ela quer ou não crer?

A hipótese de Deus pode ser lida no capítulo quatro dos dez capítulos disponíveis no livro de Dawkins. A hipótese nada mais é do que algo que pode ser "testado e falsificado" usando argumentos filosóficos e religiosos como base para solidificar suas ideias e teorias.

No capítulo quatro também é possível ver Dawkins batendo de frente também com a ciência, biologia e com estudos da criação humana, que ninguém de fato consegue explicar como se deu, mas que ele apoia firmemente suas ideias e crenças na teoria da seleção natural.

O capítulo quatro é finalizado com uma frase já conhecida: Por que com certeza, Deus não existe.

Dawkins não pretende dizer que Deus não existe com certeza absoluta (um Deus no sentido da "religião einsteiniana"). Em vez disso, ele sugere como um princípio geral que as explicações mais prováveis são preferíveis, em detrimento de explicações improváveis, como a de um Deus omnisciente e omnipotente. E, desse modo, ele argumenta que a teoria de um universo sem Deus é preferível a uma teoria de um universo com Deus.

A ideia central do livro não é apenas provar suas teorias relacionadas à não existência de Deus, mas também criticar as religiões por uma infinidade de problemas citados pelo mesmo no inicio do segundo capítulo. Segundo ele, a religião serve apenas para criar fanáticos por ilusões, e ajuda as pessoas à se tornarem cruéis contra os homossexuais, e serem "robôs" alegando que a religião tem uma pressão sobre as pessoas, e usa uma outra tese para reafirmar este pensamento, sendo ela a seguinte:

Se você perguntar para uma pessoa cristã: Você cometeria roubo, estupros ou assassinatos se soubesse que Deus não existe? Dawkins garante que poucas pessoas diriam sim e isso não é nenhuma surpresa, por que no fundo, no fundo eles tem em mente que se dizerem que sim, estarão pecando, então a religião automaticamente entra em ação os obrigando à dizer NÃO.

Simplesmente perfeito, honestamente estou mais curioso ainda para ler "O delírio de Dawkins", onde Alister McGrath "refuta" os pensamentos e ideologias de Dawkins expressos em "Deus, um Delírio".

Perfeito e satisfatório do inicio ao fim, Dawkins não deixou uma vírgula se quer sem explicação lógica e sem base - Todas elas foram solidificadas com bons argumentos e bases do meio biológico e filosófico.

Perfeito, e mais que indicado para todo Ateu, ateísta, agnóstico ou cristão que deseja se aprofundar nos pensamentos e na filosofia de Dawkins.

Obs: Tenho plena convicção de que Dawkins não é filósofo de fato, mas para mim ele é, e continuará sendo.


Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.