[RESENHA] Engrenagem Humana - Diogo Cysne


Titulo: Engrenagem Humana
Autor: Diogo Cysne
Editora: Companhia Editorial Cysne
Páginas:672
Ano: 2015
ISBN: 978-85-5694-000-1
Onde comprar: Loja Cysne | Amazon
Avaliação: 9.8/10

Sinopse: "Engrenagem Humana" é uma antologia de ficção em prosa sobre personagens excepcionais tendo que lidar com situações extraordinárias.

Em cinco contos e uma novela, acompanhe a jornada de indivíduos insuspeitos por ambientes ameaçadores, à mercê de forças desconhecidas, incontroláveis e, geralmente, pouco amistosas.

Trata-se de uma coletânea absurdista que mistura drama, suspense, política e comédia. Suas histórias são independentes mas correlacionadas, construindo uma narrativa sem precedentes quando tomadas em conjunto, tal como engrenagens de uma grande, magnífica, bizarríssima máquina.

"Engrenagem Humana" chega às estantes do Brasil com a ambição de se tornar um dos melhores livros que você já leu. Clique nos títulos abaixo para conferir a sinopse de cada uma de suas histórias.

***


Complicado falar de um livro que te tira todas as falas.

Engrenagem Humana é o tipo de livro que abre as portas da sua imaginação. Contendo 672 páginas e 4 histórias e 2 novelas, o autor consegue prender o leitor de uma forma inacreditável. No primeiro dia de leitura eu consegui ler sem problema nenhum 292 páginas. Inacreditável? Não se você conhecer a obra e entender que não estou falando apenas de um livro, estou falando de uma viagem, uma viagem longa, que entra na sua cabeça de uma forma que você não sabe explicar. Por muitos momentos eu me senti um personagem das histórias, passando pelos mesmos problemas e sofrendo as mesmas aflições.

Como o livro não conta apenas uma história individualista, irei resenhar todos os contos e a novela separadamente, para que possam compreender como funciona todo o contexto que tem uma correlação esplêndida e única, mesmo sendo histórias diferentes. A magia contida neste livro não definitivamente não é deste mundo, e nós, te convidamos a conhecê-la.

1. A Fabrica

Pessoas comuns em seu âmbito de trabalho com suas vidas monótonas e cheias de coisa alguma. A fabrica conta a história de pessoas que possuem uma vida mecânica e que não fazem nada além do que lhe é proposto pela vida: Rotina. 

Tudo era tranquilo e calmo durante a noite quando não havia mais ninguém perambulando pelos corredores da grandiosa e fantástica fabrica de brinquedos - Mas sombras obscuras e vultos tomavam conta do lugar - e o que resta ao zelador que era responsável por desligar tudo depois que a mesma se encontrasse vazia? Correr? Em uma fabrica daquele tamanho, creio que seria inútil essa tentativa. 

O enredo nos conta uma sequência de acontecimentos em pouquíssimas páginas, mas que satisfazem o leitor em sua totalidade. A Fabrica é um dos contos mais reflexivos do livro [embora todos sejam] e é do início ao fim - Um espetáculo - .

Um conto cheio de muito suspense e uma proposta improvável de continuação, este conto é fabuloso. Pessoas mecânicas? Sombrio, único.

Não era homem de pensamentos profundos, tampouco de emoções. Não era homem que pensava em ser homem, que questionava o que era ser homem ou que via algum prazer na humanidade. Via-se mais como um bicho de terno e gostava disso. Era vão e louvava a vaidade. Por que então, se preocupava com aquela descoberta? (pag.30)

A mensagem que o autor nos traz neste conto não poderia ser melhor. Conto excelente, esclarecedor, e nada, por nenhum momento comum, ou previsível.

2. Diários do fim do mundo 

Sim, no plural. Este conto é uma narração espetacular que conta a vida de dois personagens que acabara de passar por um apocalipse - Fim do mundo - ou melhor dizendo, pela extinção de todas as espécies animais no planeta (incluindo principalmente o homem). Contando duas histórias e duas visões completamente diferentes de ver o mundo, mas com suas vidas limitadas e com pressões de igual contento, um homem e uma mulher vivem isolados em seus apartamentos pensando serem as únicas pessoas no mundo após um terrível acontecimento acabar com a vida na terra - E nenhum dos dois sabe explicar como isso sucedeu - . 

Qual seri a sua reação se ao acordar você percebesse que não existe mais ninguém no mundo ? Você iria gostar de ver os prédios se degradando aos poucos e a natureza tomando conta de tudo e o azul do céu ficando mais azul a cada dia, ou ficaria se sentindo sozinho ? 

O autor conseguiu criar uma narrativa leve e descontraída e completamente "gostosa" de se ler. Ao percorrer os olhos pelas linhas deste conto, você não se dá conta, mas ele acaba rápido demais - Não ele não é pequeno, é a aflição e o desejo por mais que o fazem acabar tão rápido.

Coca Cola, Doritos, salgadinhos, refrigerante e enlatados e ninguém para conversar em toda a terra. Você conseguiria viver em um ambiente assim? Se não existe civilização, obviamente alguma hora as coisas teriam que faltar: Energia, comida, produtos. Fora que não existem mais fast foods e nem quem os prepare.

O personagem é sempre em primeira mão e nunca é apresentado ao leitor, porém ele é muito carismático e tem as mesmas confusões dentro de si que qualquer outra pessoa teria em sua existência que agora é, de certa forma, limitada. 

Um diário e uma vida de descobertas. Todo o contexto gira em torno de um personagem que se encontra sozinho em um ambiente "isolado" de toda e qualquer forma de vida animal. Ficar deprê? Não se sabe o significado desta palavra neste conto.

O conto mostra a visão e desabafo e todos os problemas de um homem e de uma mulher que se encontram e se desencontram. Muitas perguntas podem surgir durante a leitura do conto, algumas até obvias, mas a narrativa do autor não deixa uma se quer sem resposta.

Como não favoritar na estante um conto tão fabuloso quanto esse? Diogo Cysne conduz com maestria um livro de 672 páginas com muito bom senso, e trabalhando com o "nada comum". Diferente de tudo o que você possa e vai ler na vida, engrenagem humana é o ápice da descoberta para todos aqueles que querem descobrir uma leitura mais leve, mais descontraída e cheia de acontecimentos nada previsíveis. 

Citação preferida presente neste conto:

Bom, não fique tão certo. Ninguém se avalia corretamente, aqueles que acham que se conhecem bem, são os que mais estão perdidos. (pag. 71)

3. Alienígena

Ele se agacha em seu colchão e mete a mão num buraco bem disfarçado. Apalpa o estofo até sentir um metal frio. Olha-o, admira-o. Sua salvação, assim pensou. Sua perdição, assim pensa. Com a coisinha pequetita entre os dedos, tão minuscula que ainda não acredita que os hômi da cidade grande pudesse dar quarquer valô a ela, fecha os olhos e dá brecha para os pensamentos maus, que os agarram pelos ombros e o tragam a um inferno de luzes e som.

Sei que a resenha deste conto já se iniciou com uma citação, mas esta aqui é fabulosa:

O que ele vê é um homem, mas desconfia que seja outra coisa, pois homem nenhum de sua terra se veste daquele jeito ou aparece do meio do nada apenas para morrer no chão duro (Pag. 102)

As duas citações acima são capazes de narrar todo este conto. Este conto leve e descontraído com uma pegada extremamente forte e envolvente por parte da escrita muito bem feita do autor Diogo Cysne, narra a história de um bandido que está em rota de fuga em seu carro e se vê obrigado a abandona-lo pelo fato do mesmo ter morrido durante a rota. Perdido no meio do nada em um deserto total sem a menor visão de uma civilização ou vida ele segue sua rota cansado e desanimado até cair no chão com a visão embaçada e com a boca necessitada de água ele se esforça para sair do lugar com movimentos de "puxa e arrasta" no chão, mas não vai muito longe e logo perde os sentidos em um chão árido com um sol formigante consumindo sua face.

O "moço" que que acabara de desmaiar em sua rota fora encontrado por um garoto desmanzelado e esquelético que vem de uma família simples que mora por aquelas bandas e decidi buscar ajuda para socorrerem o moço estilhaçado no chão.

Toda a família é desestruturada - Sem muita comida, casa simples, água que não vem do encanamento - e uma curiosidade e forma admirável de olhar o moço que chegara para repousar em sua casa até que se sinta melhor para seguir sua rota.

A família é composta por um pai rígido - E por sinal, extremamente mau-educado-, uma mãe sofrida, um garoto de dez anos esquálido e extremamente curioso e fixionado por uma paixão por extraterrestres, uma irmã e um irmão menor.

O enredo deste conto gira em torno da fuga do moço encontrado pela família e a tentativa de recuperar um anel que perdera e desconfia seriamente que o menino mais novo da casa o tenha roubado enquanto estivera inconsciente. Ainda tem o fato da fixação do garoto pelo moço da cidade e seu modo estranho de falar, se comportar e se vestir - E claro, se comunicar! - que acha com todas as forças do seu ser, que o forasteiro é de fato um Et.

É obvio que o conto é muito maior do que isso e tem muito mais à oferecer e principalmente à acontecer. Terror, suspense, gritaria e uma narrativa que fixa e prende o leitor de uma forma fenomenal. E ai, já adicionou esse título nas suas próximas leituras? 

4. Carrascos 

É para isso que existimos, caros telespectadores, com a permissão de nossa Justiça e as bênçãos do nosso povo: Para expor o mal e puni-lo! Para proteger os que lutam daqueles que roubam e os que amam daqueles que odeiam. Para lembrar que o mundo pode não ser ideal, mas que, enquanto existirmos, não deixaremos que o mal triunfe no fim.
Carrascos é um conto e tanto. Nesta etapa do livro o autor preferiu uma abordagem mais receptiva tratando de personagens comuns sem muitos aspectos diferentes do nosso: Uma família em frente da Tv. 

Carrascos é o nome de um programa de tevê ao qual uma família "x" faz um ritual de silêncio para poder assistir, cada membro da família toma um partido em relação aos jogadores.

O jogo começou com 24 personagens e narra a história de três deles que estão disputando a final do programa onde cada qual deve produzir seu espetáculo de acordo com suas vestes místicas do qual representara. Todo o programa é voltado para homicídio assistido.

É possível que você tenha sérias reflexões ao decorrer deste conto em relação ao comportamento humano, aos verdadeiros prazeres da carne e o que faz o ser humano ser como é, pensar como pensa. Todos nós temos um pouco de carrascos dentro de nós.

5. A segunda semente

Suspense, fugas, mentiras e muito melodrama. A segunda semente conta a história de uma mãe que está em coma em um hospital qualquer e corre risco de vida devido estar muito desnutrida para manter a gestação em que se encontra - Gêmeos -. A mãe quer que de uma forma ou de outra o médico de vire para salvar as três, porém o profissional não é tão profissional o quanto parece.

Até onde vai os seus valores morais ?

Até onde você iria para salvar uma vida? A segunda semente é um relato fictício da história de uma mãe e filha lutando por uma gestação, corrompendo ordens judiciais, problemas com a clínica, advogado e tensão.

Sabe, ninguém prevê a tempestade súbita olhando para o céu claro, ou a queda brusca de um castelo de cartas muito bem construído. Bom, por "ninguém", eu digo o povo comum. A mídia, os formadores de opinião, os autointitulados "especialistas". Para esses, a crise sempre vêm assim, repentinas! Mas para nós, que estamos com as bombas nas mãos, a paz é só uma ilusão. É o período de calma antes do pavio acabar. Por isso, em poucas semanas, o que chamamos de governo mudará para sempre, e as divisões que você faz entre ele e os partidos serão irrelevantes. (pag. 239)

6. SELVAGEM (Novela) 

A novela é maior que todos os contos que a antecedem possui uma série de acontecimentos que envolvem toda a trama nela destacada.  Selvagem conta a história de uma índia que fica sub-entendida no contexto.

A personagem em questão tem grandes habilidades, é extremamente forte e corajosa e que tem um potencial indescritível para batalhas, brigas. O autor decidiu não somente introduzir a personagem nas folhas, ele a criou com zelo, com cuidado, aos poucos... Também tem sua história contada desde a primeira folha que inicia o contexto da história onde mostra como ocorreu seu parto e todas as desavenças e brigas que ocorreram no dia de seu nascimento envolvendo seu pai e sua mãe.

A tribo a qual pertencia tinha em mente que se o parto de uma das índias fosse demorado ou complicado, a vida da criança seria uma desgraça e por consequência se tornaria um ser humano ruim, chegando a sacrificar seus iguais para conseguir o que deseja, já se o parto fosse calmo e comum a criança traria paz, sossego e extrema prosperidade para aldeia.

Nas páginas que se sucedem contam como foi a história de vida desta personagem que toma várias páginas apenas para ter a sua identidade revelada, o autor cuidou de forma minuciosa para que o leitor "sugasse" todo o contexto de forma pura de forma que não sobrassem espaços em sua cabeça para indagações desnecessárias, e para isso não economizou nas descrições dos ambientes, acontecimentos, dos ritos e principalmente das personalidades que envolvem os personagens dessa história.

Você pode -e vai - conhecer a personagem principal cem por cento, o livro não nos dá detalhes apenas de como foi seu nascimento ele também descreve: Seu batismo, sua infância, sua adolescência, sua vida na aldeia e outros detalhes à se destacar.

A tribo da história possui uma linguagem própria criada pelo autor da obra, contendo inúmeras palavras grifadas com seus respectivos significados no rodapé da página - O que confesso eu, me deixava as vezes perdido, mas nada muito grave - .

Algo que me deixou chateado no conto foi que todo o trabalho contido na maioria das páginas para contar a história da personagem e sua trilha de vida é desconstruída em determinado momento. A história é fantástica mas se o ritmo das páginas detalhadas tivessem continuado o mesmo, a leitura teria sido com toda certeza ainda mais agradável.

O livro contém no final um glossário, onde se é possível consultar todas as palavras que você não conseguir entender, todos os termos de A à Z, e uma página dedicada a todos os contribuintes para que essa joia rara fosse possível.


Detalhes técnicos







Diogo Cysne e a Companhia editoral Cysne realizaram um trabalho incrível nesta obra que contem não somente palavras e histórias, mas contem toda uma arte, toda uma alma, toda uma entrega total para que ele fosse possível.

O acabamento da capa é brochura, mas bem mais resistente que as demais capas da mesma textura disponíveis no mercado e as folhas que constituem a obra são Chambril avena. O livro também possui um trabalho gráfico louvável e extremamente lindo com cuidados absolutos por parte da linha editoral responsável.

Sem dúvida um dos melhores livros que já tive o prazer de ler em literatura nacional, tão incrível que eu consegui lê-lo em 3 dias, tendo livro quase 300 páginas apenas no primeiro dia de leitura.  A proposta de fazê-lo se tornar o seu livro favorito é extremamente fiel, afinal, ao fim da leitura vai ser difícil ouvir alguém perguntar: Qual seu livro nacional favorito? E não se recordar de engrenagem humana.

Quotes presentes nesta obra


































***

ACERVO PESSOAL

Agradeço imensamente ao autor pelo livro autografado, pelos marcadores e pelas informações básicas que vieram no livro em folhetos. Você não me deu apenas um livro, você me deu um amigo e uma viagem que nunca será esquecida.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.