[CRÍTICA] A garota Dinamarquesa

Titulo: The Danish Girl
Título no Brasil: A garota Dinamarquesa
Roteiro: Lucinda Coxon
Produção: Tim Bevan | Eric Fellner | Anne Harrison |Tom Hooper | Gail Mutrux| Linda Reisman
Direção:Tom Hooper
Gênero: Drama | Biografia
Distribuição:Universal Pictures
Ano: 25/02/2016
IMDB: 7,0/10

Cinebiografia de Lili Elbe (Eddie Redmayne), que nasceu Einar Mogens Wegener e foi uma das primeiras pessoas a se submeter a uma cirurgia de redesignação sexual. Em foco o seu relacionamento amoroso com a pintora dinamarquesa Gerda (Alicia Vikander) e sua descoberta como mulher quando sua esposa pede para que ela pose para retratos femininos quando uma modelo falta na década de 20. Sua esposa aceita a cirurgia mas percebe que perdeu a pessoa com quem se casou e Hans Axgil (o ator belga Matthias Schoenaerts), vem formar um triângulo amoroso.

Resumo da Obra

De onde é que ela vem? - "De dentro de mim", com toda e plena convicção pode-se afirmar de que esta foi a frase chave para dar todo o sentido e vida que a personagem precisava para dar síntese à sua existência, e reafirmar algo que ela mesmo já sabia sobre si, mas que há muito tempo se reprimia: Sua Transsexualidade. 

A garota dinamarquesa ou The Danish Girl (título original) é uma obra cinematográfica escrita por Tom Hooper baseado no romance hormônio de David Ebershoff. O enredo é um pseudo-biográfico que procura narrar a vida de um famoso escritor chamado Einar Mogens que era casado com uma linda mulher chamada "Gerda".

O enredo narra a vida de uma garota transexual que teve que passar por diversas aflições e lutas interiores consigo mesma e com sua parceira Gerda, para entender melhor o que acontecia dentro e fora do seu "eu atual". 

A história de Einar é uma das mais conhecidas em todo mundo, e um dos fatos a que se deve este sucesso transcedente foi sua decisão de ser uma das primeiras pessoas no mundo a passar por uma cirurgia de troca de sexo. Mesmo com todo sucesso e reconhecimento por toda Dinamarca, o pintor abandonou o antigo nome e talento para se dedicar ao seu "novo eu" que antes estava adormecido interiormente.

O filme é composto por dramas existenciais, sociais e emocionais que uma pessoa pode ter ao decorrer da vida, e as inúmeras perguntas que se passam na cabeça das pessoas que passam por momentos tortuosos e por duvidas que parecem não ter fim, e que claro: Toda e qualquer pessoa passa, não somente os transgêneros. 


Crítica

Assim como em "Uma mente brilhante", roteiro biográfico mais que incrível dirigido por Ron Howard baseado na vida do matemático John Forbes Nash, a garota dinamarquesa pode e vai surpreender a todos com seu contexto dramático, envolvente e único. Sem dúvida é um dos melhores filmes biográficos já produzidos no mundo. Tom Hooper conseguiu romper todas as barreiras das produções cinematográficas ao dirigir a garota dinamarquesa, pois conseguiu conduzir com maestria não somente a história de uma transexual, mas também todas as dificuldades enfrentadas pela mesma perante a sociedade e as incertezas com as quais surgiam em sua cabeça.

O filme é uma reflexão à vida e a sexualidade com a qual temos que lidar e aceitar. Einar por um momento foi intersexual, depois passou a ser androgino e logo então, sua totalidade e real identidade: Transexual. 

É errôneo fazer determinadas afirmações acerca de um filme que poderia ter um milhão de outros finais, visto que, é um pseudo biografia (houve acréscimos para dar ênfase ao drama). Fantástico em todos os sentidos, um filme para quem gosta de refletir sobre os valores da vida, e sobre as descobertas que ela pode nos proporcionar, e claro: Sobre o real significado do amor.

Avaliação: Desculpe-me IMDB, mas este filme não merece menos que dez. 10/10.


Alguns takes desta obra esplêndida























Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.