[RESENHA] As amigas da casa do sol - Fátima Freitas

Titulo:  As amigas da casa do sol
Autor(a): Fátima Freitas
Editora: Autografia
Ano: 2016
Páginas: 80
ISBN-139788555266294
As Amigas da Casa do Sol, de Fátima Freitas, é uma reunião de versos poéticos sobre as relações entre as mulheres e as delícias e dores do feminino. A partir das vivências do cotidiano e do ativismo feminista que a autora defende, o livro é rico e empoderado, com pequenos, mas, ao mesmo tempo, poderosos versos.Fátima, formada em Serviço Social, sempre defendeu as causas sociais. Após acumular vasta experiência trabalhando com mulheres, observou a sororidade entre elas e se interessou pelo feminismo, escrevendo seus textos. Mostrando como as mulheres podem ser suas próprias heroínas, a autora conta o prazer de ser mulher, escrevendo para si e para suas amigas.


As amigas da casa do sol é um livro escrito pela autora Paulistana Fátima Freitas em prosa poética. Cada poema possui uma essência naturalista dos sentimentos mais profundos da autora em relação à feminismo, feminilidade, mulher, sentimentos e desejos que você consegue sentir ao decorrer do folhear das folhas. 

Os assuntos explícitos neste livro vão de encontro à nossa consciência e ao nosso "eu adormecido". Será que você consegue pensar em todos os problemas que circundam o nosso redor, ou você precisa acordar de um sono profundo para enxergar enfim, a realidade?

Os poemas criticam de forma poética, severa e direta os padrões impostos pela sociedade com relação ao comportamento e essência de uma mulher como um todo - Como se a necessidade de todas serem e seguirem as mesmas direções, os mesmos costumes, não existindo assim UMA ESSÊNCIA, mas à essência, o que tira por todo o direito de um individuo particular participar de um coletivo sem direitos de escolha de sentimentos, é como se você fosse obrigada a viver em um mundo que te diz "ser diferente não é ser normal". 

Como dito anteriormente os poemas descritos nesta obra magnífica da nossa querida Fátima Freitas, enfatiza a necessidade da mulher se "reprogramar" para vida, não adotando modelos mecânicos ou moldes formulados pela sociedade que julga o que é, ou não é correto, certo, diferente, bonito ou feio.

Quando na verdade a única essência é a que você possui, não existe outra. Inclusive esta obra contem um poema chamado identidade, e eu irei compartilhar um trecho com vocês, que diz:

A identidade do ser que habita o corpo que cobre a pele aquece a alma e os desejos guardados. A chave que abre o segredo dos olhos que olham outros corpos sob a pele cuja a identidade ainda não se sabe. A chave que abre os segredos do coração que bate pelo outro ser que habita outro corpo que outra pele cobre. - Página 34

Neste poema a autora nos mostra claramente sua posição sobre a identidade não somente da mulher, mas das pessoas, em se descobrir. E ainda afirma no final do poema que a identidade de uma pessoa é resultado de uma vida inteira, o que nos remete a pensar nas mais diversas formas de molde da sociedade: Se eu levei a vida inteira para ser o que sou, não é agora que eu irei mudar.

O trabalho gráfico e a diagramação está perfeita. A editora autografia conseguiu obter um ótimo trabalho neste livro. A obra é composta por 45 poemas ao todo e nos traz pensamentos e reflexões que não costumamos ter no nosso dia a dia. O problema da sociedade, é que ela precisa de uma base para existir, e essa base foi moldada e criada por ela, logo então ela não existe, por que uma sociedade é composta por diversas pessoas, e como dito no poema: Cada pessoa tem sua identidade que é desenvolvida no decorrer da vida. 

Simplesmente incrível. Fátima, tens um novo leitor e claro: Um novo fã. 

Avaliação:

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.