Header Ads

[ENTREVISTA] Márcio Zanini, autor de "O ninfo"

Acervo pessoal do autor

O autor de hoje é Paulista, escritor e revisor. Márcio Zanini tem 38 anos e é autor de incontrolável, vítimas da obscuridade, crônicas de Markus e seu mais novo lançamento no wattpad, o ninfo.

1.      Como nasceu o seu relacionamento com a escrita?

Reprodução | Autor Márcio Zanini
Eu desenho desde pequeno e por isso gostava de criar meus próprios personagens e histórias em quadrinhos. Tudo começou ai, com o tempo percebi que gostava mais de criar e escrever do que desenhar e as coisas acabaram caminhando nessa direção.

2.      Qual foi o primeiro livro que você escreveu? E como surgiu a ideia de escrever um livro?

Meu primeiro livro, Vítimas da Obscuridade era para ser uma história em quadrinhos e acabou não acontecendo. Decidi transformar ele em livro e foi o primeiro que escrevi com a intenção de imprimir e vender. Antes disso, havia escrito vários que nunca se tornaram públicos e tenho eles até hoje, todos escritos na antiga máquina de escrever. Pois é, sou da época que curso de datilografia seria o futuro (risos).

3.      Quais suas principais inspirações literárias?

Quando li Stephen king pela primeira vez explodiu minha mente para a maneira de como se estruturar uma história e preparar o leitor pro climax e principalmente em como criar personagens de personalidades profundas. Irwing Wallace me “ensinou” muito em cada livro. O suspense e desenvoltura em uma narrativa simples e cativante do Sidney Sheldon também me marcaram muito.

4.      O que você considera mais difícil durante a escrita de uma história?

Reprodução | W
Tudo (risos). Os mais difíceis são: A criação dos personagens, eu sempre crio meus livros antes de começar a escrever e os personagens são trabalhosos e divertidos, pois crio dentro de mim a personalidade que quero, para que eu pense como o personagem e saiba exatamente como ele vai reagir, fazer, se portar e etc. A estrutura dos capítulos é outro desafio.

5.      Quais seus livros? E qual deles você mais gostou de escrever?

Eu gosto de escrever histórias adultas em que você pode colocar temas impertinentes ou situações que façam as pessoas pensar em si mesmas. Todos meus livros eu aconselho para maiores de 16 pelo menos. Os quatro que escrevi até agora, Vítimas da Obscuridade, Crônicas de Markus, Incontrolável e por último O Ninfo, que tem uma linguagem mais leve, tem de algum modo o que gosto de escrever. Meu estilo, digamos. Por isso, gosto de cada um deles, mas Crônicas de Markus me cativa bastante.


6.      Qual de seus personagens você mais gosta?

Essa é difícil. Eu gosto muito do Hunt do Vítimas da Obscuridade (e ele nem é o personagem principal), mas Markus, do Crônicas de Markus, é o preferido por pouco. Ele é muito complexo e está pela primeira vez aprendendo muita coisa por conta própria sem que seja orientado pela sociedade ou religião que ele tanto seguia. Gosto demais de como ele aprende através dos próprios erros.

7.      Como você sente quando recebe um comentário positivo acerca de sua obra?

É uma alegria que não há descrição. Todo escritor quer vender livros e pagar as suas contas, isso traz alegria, mas é uma alegria já esperada, não há surpresa em receber pelo seu trabalho. Um elogio, é o que realmente alimenta a alma. Elogio e incentivo é uma força poderosa que possui dois lados, pode impulsionar quem souber utilizá-la para continuar sempre melhorando ou pra quem não souber, só vai inflar o ego e acabar se estacionando achando que tudo já está bom.

8.      Pretende escrever novos livros? Tem algum projeto em mente chegando?


Reprodução | Wattpad
Sim, sempre sou cheio de planos (risos). Quando lancei Vítimas da Obscuridade em 28 de Abril de 2016, o Crônicas de Markus e o Incontrolável já estavam escritos. De lá até hoje fiquei bolando histórias e trabalhando elas em vários detalhes e finalmente estou pronto para iniciar a escrita. Enquanto isso estou publicando um livro no wattpad: O Ninfo.

9.      Qual gênero literário você mais se identifica?

Pra ler eu gosto de tudo. Sendo uma história bem conduzida, dificilmente algo me incomoda. Pra escrever eu gosto de temas adultos, inconvenientes e daquilo que cai de maneira inesperada no colo do personagem e que ele precise se adaptar para continuar com sua vida da melhor maneira possível. Assim como na vida.


10.  O que você diria para as pessoas que estão conhecendo tanto você, quanto a sua escrita agora?

Que eu escrevo tudo com amor e cuidado. Trabalho por muito tempo um livro antes de escrevê-lo justamente para que seja algo novo e diferenciado e com conteúdo. Minha preocupação é que você não fique entediado lendo. Vítimas da Obscuridade é um suspense investigativo sobrenatural com a mensagem de que nossos problemas muitas vezes são causadas por nós mesmo e no quanto influenciamos nossas crianças sem perceber em alguns casos.
Crônicas eu trago de volta os vampiros clássicos, realistas, cruéis e lamuriosos e trato da relação sexo e sangue como nunca vi em nenhum livro de vampiro antes.
Incontrolável é o típico livro com final que ninguém nunca iria imaginar. Forte e intenso com a mensagem de que a vida é incontrolável em todos os sentido e nada sai como planejamos.

11.  O que as pessoas devem esperar da sua escrita?

Meu estilo está presente em todos os livros. Acontece de eu adaptar as descrições de acordo com a história e daquilo que quero que o livro seja. Vítimas da Obscuridade era pra ser um entretenimento rápido, uma linguagem prática sem enrolação. Crônicas é mais detalhado e elaborado justamente por ser uma história que começa em 1560 e ser em duas partes. O Ninfo no wattpad é uma escrita estilo O Hobbit. Mas sem dúvida meu estilo está ali, e com isso acabo meio que dando opções pra quem gosta de tipos diferentes de escrita.

12.  Qual passagem do seu livro te marcou mais? Existe um trecho que você goste mais que os outros?

Capa oficial do conto "O ninfo"

Essa é a pergunta mais difícil pra qualquer escritor (risos). Cada parte tem seu charme pra mim. A cena de Clara com Markus no Crônicas de Markus é uma das que me marcou. O Final do Incontrolável me emocionou ao escrevê-la. A passagem da infância de Hunt no Vítimas da obscuridade foi intensa também. Cada uma por um motivo e cada personagem com uma personalidade diferente. Mas se você colocar uma arma na minha cabeça (risos) e me fazer escolher só um livro, seria o Crônicas de Markus.

13.  Como foi a recepção do público com relação ao seu primeiro livro?

Há quase um ano atrás eu publiquei de forma independente. A falta de conhecimento tanto do mercado quanto de todos os processos que um livro precisa passar mais o afobamento de querer ver tudo pronto logo, acabaram me deixando passar alguns erros que foram sanados nas reedições. Sempre vai ter quem goste e quem não, gostos diferentes faz parte da humanidade e quanto mais rápido um escritor entender isso, melhor. No final, o resultado foi positivo. Vendi tudo que imprimi e no Skoob meus livros tem de 4,4 a 5,0 de avaliação. Isso pra mim é incrível e só tenho a agradecer cada pessoa que, gostou tanto do que escrevi, que se importou de dar seu feedback a mim e no skoob.

14.  O que te inspira a continuar escrevendo?

As pessoas que gostam do que escrevo e me dão um feedback são os principais incentivadores. Além disso, tenho ainda muita história pra contar e muita coisa pra dizer. Faço tudo por amor e como não consigo viver sem amor...

15.  O que você diria para alguém que está iniciando a escrita do seu primeiro livro?

Preocupe-se em criar a história antes de escrever. Em todos sentidos. Personalidades, motivações, mensagens a se passar e situações que não deixem o leitor entediado. Se preparar é muito importante. Uma linha guia que não vai te deixar perder o foco na hora de escrever. Leia livros de todos os tipos e em especial no estilo que você escreve. Leia mais do que assisti filmes ou séries. A sua ferramenta para conduzir uma história, prender a atenção do leitor e se fazer entender é através das palavras que aprenderá lendo outros livros e não nas ferramentas visuais de um filme utiliza.

16.  O que você tem a dizer para os leitores do catraca seletiva?

Que eles tem bom gosto. O Catraca é incrível e responsável ao levar informação e conhecimento. O Vitor faz tudo com paixão e se tornou indispensável no meio literário. Continuem acompanhando o site que vocês sempre estarão inteirados no mundo cultural.

17.  Onde podemos encontrar seus livros para compra? Qual você indica que nossos leitores conheçam primeiro?

Eu estou fechando contrato com uma editora para lançar meus três livros, por esse motivo, eles foram retirados da Amazon temporariamente, pois eles serão reformulados de acordo com o padrão de qualidade da editora. Enquanto isso, podem ler meu livro O Ninfo no wattpad. A escrita é bem tranquila e direta, diferente do Crônicas de Markus que é mais elaborada. Mas meus livros estarão de volta a venda bem rápido e anunciarei a todos de todas as formas e mídias possíveis. Para acompanhar esse processo é só me adicionar no facebook.
https://www.facebook.com/marciozanini78


18.  É chegado ao fim da nossa entrevista. Muito obrigado pela oportunidade e pela paciência. Sucessos !

Admiro o Catraca e foi uma honra participar. Eu quem tenho a agradecer. 

Conheça a obra:




Uma mitologia fantástica sobre o surgimento do primeiro e único ninfo. Malcrow foi criado por sua mãe Buerha, a rainha das ninfas, numa situação proibida e cheia artimanhas com a única finalidade de salvar a espécie. Mas ao incluir os seres humanos na criação de seu filho, ela logo descobriria que quando se trata da vida humana, nada sai como planejado. Malcrow não vem com a facilidade de ser domado como sua mãe havia imaginado. Curioso e investigativo por natureza, ele não vai somente querer explorar mais sobre o mundo fora do reino das ninfas como também toda a verdade sobre seu pai, o lenhador Bartho, como também descobrir tudo sobre sua mãe e o do que ela é capaz. Malcrow é a salvação ou a destruição? Tudo é possível a partir do momento que ele começa a pensar por conta própria.
Tecnologia do Blogger.