Ads Top

[ENTREVISTA] Caroline Defanti, autora da trilogia "Irmandade de Copra"

Caroline Defanti

O nosso bate papo hoje é com a poderosíssima Caroline Defanti. Caroline é carioca e autora de uma das melhores trilogias já publicadas. Autora da Editora Arwen, Carol nos conta um pouco sobre seu relacionamento com a escrita, primeiros livros e projetos futuros.

1. Como nasceu o seu relacionamento com a escrita? 

Carlone Defanti | Acervo pessoal
De uma brincadeira com um grande amigo meu, quando éramos crianças. Decidimos escrever uma história, para passar o tempo – imagine a maravilha que saiu. Mas parece que eu realmente gostei e acabei continuando. 

2. Qual foi o primeiro livro que você escreveu? E como surgiu a ideia de escrever um livro? 

O primeiro livro que eu escrevi mesmo foi uma versão mais longa e menos infantil do que o que eu e o meu amigo escrevemos – na brincadeira que eu mencionei na pergunta anterior. A história acabou rendendo uma saga com quatro livros. Mas eu não pretendo publicá-los. 
Seria muito clichê eu dizer que a ideia surgiu da nossa imaginação de criança? Porque foi isso mesmo. rsrs

3. Quais suas principais inspirações literárias? 

Tem VÁRIAS!!!! 
Mas, bem, acho que eu posso destacar algumas, como: Isaac Asimov (desculpem, mas vou dar nomes de autores, porque escolher obras específicas é pedir o impossível), Edgar Allan Poe, Neil Gaiman, J. R. R. Tolkien, Lewis Carrol, Júlia Verne, Pierce Brown, Ekaterina Sedia e muitos – muitos mesmo – outros.

4. O que você considera mais difícil durante a escrita de uma história? 

Lê-la depois de eu tê-la considerado “finalizada” (afinal, nenhuma história nunca está de fato finalizada, apenas interrompida, disse, certa vez, um grande gênio), corrigir e acrescentar um monte de coisa e perceber que, na verdade, não estava finalizada coisa nenhuma e que nunca vai estar. Rsrs 
Bate um desespero federal nessas horas.

5. Quais seus livros? E qual deles você mais gostou de escrever? 

A irmandade de Copra | Reprodução
Tem essa “saga da brincadeira” que eu comentei, mas ela definitivamente não é uma das minhas favoritas, porque eu fiquei muito tempo trabalhando nela e cometi muitos erros – tudo bem que eu também aprendi muito. Mas, enfim, são quatro livros. Depois eu escrevi Irmandade de Copra, que se tornou uma trilogia, mas eu escrevi como volume único – um volume único que ficou gigante. Então, conto como um. Em seguida, escrevi As Sentinelas, uma ficção científica. Depois veio Alma Mecânica, uma fantasia steampunk, muito diferente de tudo o que eu já havia escrito. E agora eu estou escrevendo outra fantasia steampunk, cujo nome eu não vou falar, porque eu não tenho o costume de falar das obras nas quais estou trabalhando no momento. Bom, eu gostei bastante de escrever todos eles. Mas eu acho que o que eu realmente curti o tempo inteiro e não houve nenhum momento em que eu ficasse estressada ou em crise existencial, sei lá... foi no Alma Mecânica, que é também, dentre os meus livros, aquele que eu mais acho parecido comigo de uma maneira geral. Eu coloquei muito de mim nesse livro, então, eu tenho um carinho especial por ele.

6. Qual de seus personagens você mais gosta? 

Dentre todos os personagens de todos os meus livros, acho que o que eu mais gosto é o Remo Yanes, do As Sentinelas. O Remo é um cara super de bem com a vida, extremamente inteligente, engraçado, que sabe fazer alguém sorrir e um amigo que eu realmente gostaria de ter por perto.

7. Como você sente quando recebe um comentário positivo acerca de sua obra? 

Eu sambo em cima da mesa, eu saio correndo e gritando, eu dou pulos de alegria, eu danço com o cachorro, eu abro a jan
Lançamento "A irmandade de copra"
ela e grito “FULANO GOSTOU DO MEU LIVRO!!!!”, enfim, as reações variam. Rsrs 
Brincadeiras à parte, eu sinto que vale a pena e fico com ainda mais certeza de que é pelas pessoas que leem os meus livros que eu continuo a escrever. Não há presente melhor do que receber um elogio.

8. Pretende escrever novos livros? Tem algum projeto em mente chegando? 

Mas é claro! Eu sempre estou escrevendo alguma coisa, sempre tem um projeto em andamento. No momento, estou trabalhando em um e, como eu acho que já passei da metade da segunda etapa da produção, já estou planejando o enredo de outra história. A produção não pode parar nunca. ;-)

9. Qual gênero literário você mais se identifica? 

Literatura Fantástica, que engloba a fantasia, a ficção científica e o terror. E todos os seus subgêneros. Amo muito.

10. O que você diria para as pessoas que estão conhecendo tanto você, quanto a sua escrita agora? 

Obrigada por se interessar! Espero estar fazendo um bom trabalho! Pode vir falar comigo quando quiser. =)

Caroline Defanti

11. O que as pessoas devem esperar da sua escrita? 

Bom, EU espero me tornar cada vez melhor, no sentido de ser mais segura e mais coerente. Quanto as pessoas, eu acho que elas podem esperar o meu melhor. Sempre.

12. Qual passagem do seu livro te marcou mais? Existe um trecho que você goste mais que os outros? 

Sempre tem algum trecho – ou mais de um – em cada um dos meus livros que me marca e me deixa arrepiada – que eu escrevo quando estou muito inspirada. Rsrs 
Tem um, no terceiro volume da Irmandade de Copra, que vai lançado nesse primeiro semestre de 2017, que eu gosto muito. Mas obviamente eu não vou colocar aqui, porque, né, seria um spoiler fenomenal – e eu seria apedrejada. Então, vou colocar um trecho do segundo volume, que eu também gosto muito, aqui:

“― Ir contra a Irmandade é ir contra os homens. – disse Fera.Ele estava traçando um limite; estava obrigando-a a escolher um lado. (...)A voz dela saiu firme, assim como o brilho em seus olhos, quando disse:― Então, eu vou contra os homens”.

Eu me lembro de quando escrevi isso.

13. Como foi a recepção do público com relação ao seu primeiro livro? 

Acho que foi boa. Não me lembro de nenhuma reclamação. Eu não sou muito do tipo que fica caçando informações sobre o meu livro. Eu simplesmente escrevo e deixo rolar. Fico imensamente feliz quando alguém vem falar comigo ou quando me mostram suas resenhas dos meus livros. Mas, até hoje, ninguém veio reclamar comigo.
Série "A irmandade de copra"

14. O que te inspira a continuar escrevendo? 

O fato de que alguém vai ler. Se apenas uma pessoa lesse, para mim já seria o suficiente. Porque tudo o que eu escrevo é para os leitores e sempre vai ser.

15. O que você diria para alguém que está iniciando a escrita do seu primeiro livro? 

Não desista! E, se alguém te fizer uma crítica negativa, pegue isso e transforme em habilidade e sabedoria para se tornar ainda melhor. Nunca responda com arrogância e esteja sempre disposto a aprender. 
E, mais importante, não perca a fé.

16. O que você tem a dizer para os leitores do catraca seletiva? 

Reprodução
Aqueles que leram até aqui, muito obrigada por me aguentarem. Rsrs Espero não tê-los feito perder tempo e nem tê-los irritado. Rsrs 
Sério, obrigada mesmo.
Continuem lendo. Leiam sempre. Leiam tudo.

17. Onde podemos encontrar seus livros para compra? Qual você indica que nossos leitores conheçam primeiro? 

Meus livros podem ser comprados, em versão física, na Livraria Cultura, no site das Lojas Americanas, Submarino e na loja virtual da Editora Arwen (www.arwenbooks.com.br).
A versão digital está na Amazon. 

18. É chegado o fim da nossa entrevista. Muito obrigado pela oportunidade e pela paciência. Sucessos!

Eu que agradeço e desejo todo o sucesso para o Catraca Seletiva. =)

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.