Ads Top

[ENTREVISTA] Ceres Marcon, autora de "o ascendente"

Ceres Marcon | Reprodução

A nossa entrevistada de hoje tem uma história forte acerca de suas publicações e compartilha conosco, como foi publicar seu primeiro livro, os primeiros comentários, e claro, dá dicas preciosas para quem quer ingressar no mercado editorial e lançar seu primeiro livro.

1. Como nasceu o seu relacionamento com a escrita?

Na minha adolescência, inspirada no livro Na Última Primavera do Ganymédes José, isso foi lá por 1978/79, escrevi meu primeiro diário. Depois, tentei escrever poesia, mas não achei que tivesse talento para isso. Também iniciei um romance que se passava nos Andes, mas abandonei o projeto. Tinha que pensar na faculdade e, morando no interior, e sem grandes recursos, desisti. Retomei a vontade da escrita após o casamento. Esquecida do primeiro projeto, iniciei outro, que também sucumbiu, devido às dificuldades de tempo. Ainda precisava terminar meus estudos, casa, marido e uma filha pequena. Há, mais ou menos, oito anos decidi que estava mais do que na hora de tornar meu sonho realidade, e iniciei um romance que, hoje, será reescrito em conjunto com minha irmã, Evelyn Postali, também escritora.

Ceres Marcon
2. Qual foi o primeiro livro que você escreveu? E como surgiu a ideia de escrever um livro?

O primeiro foi esse que eu mencionei acima, que será reescrito. “A certidão da morte”. Um romance policial que enviei a várias editoras, sem conseguir qualquer retorno. Após a decepção, investi em outro, “Terra magra”, outro policial, com elemento sobrenatural, que ficou inacabado e que, em algum momento, será finalizado. Acredito que, hoje, mais madura, conseguirei transformá-lo em uma boa história. Meu livro atual, “O ascendente, publicado pela Cafeína Literária, está com uma aceitação muito boa, por parte dos blogs e dos leitores.
A ideia de escrever um livro surgiu por conta de um desafio. Minha irmã disse que eu conseguiria escrever uma história boa. Arrisquei, mesmo desconhecendo tudo o que existe sobre técnicas de escrita. 

3. Quais suas principais inspirações literárias?

Leio um pouco de tudo. Na adolescência, li ficção científica. Havia os livros de bolso da Ediouro e Perry Rhodan  título de uma série de livros de ficção científica do gênero space opera, publicada desde 1961 na Alemanha, me conquistou com as viagens espaciais e os novos mundos que ele e sua tripulação descobriam. Também conheci romances clássicos brasileiros: A moreninha, Dom Casmurro, Memórias póstumas de Brás Cubas, até porque, me formei em Letras, mas me encantei com uma saga, um romance de uma escritora chamada Leslie Arlen, Amor e Honra - Saga da Família Borodin. Conheci, através dessa obra, a Primeira Guerra Mundial, que era o pano de fundo para a história dos Borodins. Li muitos romances de banca, também. Depois de algum tempo, conheci Stephen King, Gaiman, Edgar A. Poe, Guimarães Rosa, Gabriel G. Márquez, Graciliano Ramos, Rubem Fonseca, Mário de Andrade, e muitos outros. Há pouco tempo, conheci a obra de Raphael Draccon, André Vianco, mas foi Eduardo Sphor que me apresentou ao universo maravilhoso dentro da mitologia de anjos e demônios e foi o que me inspirou a escrever esse gênero. Teriam tantos outros escritores, porque leio diversos gêneros e se eu ficar pensando muito, a lista seria bem maior.

4. O que você considera mais difícil durante a escrita de uma história?

Para mim, é organizar a ideia. Sempre faço um esquema da história, mesmo que seja um conto. Preciso de clareza, saber como vou começar e terminar, mesmo que, no momento em que esteja planejando a sequência de acontecimentos, o final mude. Sem isso, minha escrita não flui. 
Construir os personagens é difícil também, porque é necessário que pareçam verdadeiros aos olhos do leitor. Precisam ter uma história de vida, mesmo que não apareça na história.
Mas organizar toda a história, para mm, é o que mais dá trabalho.

5. Quais seus livros? E qual deles você mais gostou de escrever?

O ascendente
Tenho um livro publicado, O Ascendente. Além dele, escrevi vários contos: Vitor, A queda, Lembrança de sangue, A noite do desespero, A queridinha, Amor, Erva daninha, Fim de caso, O condenado, O alvo, Redenção, Torquetur, Uma dose de desamor, A música proibida.  Com exceção do último, todos os outros estão liberados para leitura gratuita, no Wattpad. Tenho outro romance, também publicado no Wattpad: Não duvide de mim. Adorei escrever O Ascendente. Foi uma experiência diferente de todas as outras, porque consegui planejar toda a história e não havia como me sentir perdida nas cenas. As dificuldades forma superadas com facilidade, justo por causa do planejamento. Quando algo não funcionava, sabendo a sequência, se tornava menos trabalhoso refazer, encontrar o caminho para seguir com a narrativa.

6. Qual de seus personagens você mais gosta?

Apesar de amar Thomas, Vitor terá meu amor eterno. Vitor foi meu primeiro conto. Uma mistura de terror e suspense, com cenas fortes que envolvem sexo e muito sangue. Imaginar Vitor, como ele agiria, quais as sensações que ele teria, como se sentiria após as mortes, me fez ficar alguns meses acreditando que não conseguiria construir outro personagem. Ele tem profundidade e ainda penso em utilizá-lo em alguma outra história.

CONHEÇA SUA OBRA MAIS RECENTE: O ASCENDENTE


Sua alma foi forjada entre dois mundos opostos. E, por toda sua vida, sentiu arder em seu âmago estas partes conflitantes. Apenas na prática do exorcismo encontrava tanto um propósito quanto um punhado de paz. Os seus desígnios, no entanto, viriam, cedo ou tarde, imporem-se sobre seu destino. E, logo, céu e inferno estariam contra ele, tornando-o, além de pária, um fugitivo. Junto a ele, como única aliada, o amor de sua juventude em quem ele não pode confiar. Esta é a saga de Thomas, o ascendente.


7. Como você sente quando recebe um comentário positivo acerca de sua obra?

É como receber um abraço quando mais se precisa, porque aí eu sei que atingi meu objetivo, que é o de conquistar o leitor. Posso dizer que a palavra é realizada. Nada é mais motivador do que o retorno de um leitor, seja para dizer que odiou ou gostou, porque eles são o que um escritor tem de mais valioso.

8. Pretende escrever novos livros? Tem algum projeto em mente chegando?
Com certeza! Estou investindo meu tempo na sequência de O Ascendente. Se tudo andar nos conformes, até o ano que vem, ele estará publicado. Tem o  romance que eu e minha irmã estamos escrevendo juntas, e o outro que quero finalizar. Há outro que está na gaveta, ou na nuvem, e envolve terrorismo. E um outro com feitiçaria. 

9. Qual gênero literário você mais se identifica?

Gosto muito de fantasia. É onde me sinto mais à vontade, mas gosto da mesma forma de suspenses policiais, que envolvam investigações e sobrenatural. 

10. O que você diria para as pessoas que estão conhecendo tanto você, quanto a sua escrita agora?

Sou uma escritora cuidadosa. Não entrego um texto para meu leitor que tenha erros, quaisquer que sejam. Procuro revisá-los e contrato leitores críticos que mostram quais os pontos que deixei passar. Respeito muito meus leitores, porque além de escritora, também leio e é triste ver colegas com erros grosseiros em seus textos. Também aconselho que visitem meu site, leiam meus contos de mente aberta. Sou uma pessoa que gosta de interação e nunca deixo de responder nem aos leitores, nem a quem quer que me procure, seja para falar de minhas obras ou para tirar dúvidas sobre escrita.

11. O que as pessoas devem esperar da sua escrita?

Considero minha escrita simples e fácil, o que não significa simplória, porém sempre com uma surpresa pelo meio do caminho. Minhas histórias não são iguais, apesar de terem o elemento sobrenatural, por isso não é possível dizer que são textos repetitivos.

12. Qual passagem do seu livro te marcou mais? Existe um trecho que você goste mais que os outros?

Se eu falar sobre O Ascendente, a passagem que mais me marcou é um dos momentos finais do livro, porque é quando o meu protagonista Thomas mostra sua essência. Não posso falar muito mais além disso, porque estaria dando spoiler.

13. Como foi a recepção do público com relação ao seu primeiro livro?

O público tem gostado bastante do livro. Tenho tido resenhas positivas, mesmo de quem não gosta do gênero fantasia. Estou muito feliz com esses resultados.

14. O que te inspira a continuar escrevendo?

Os leitores. São eles que me mantém na estrada.

15. O que você diria para alguém que está iniciando a escrita do seu primeiro livro?

O mesmo que outros autores disseram para mim: leia, busque informações sobre como escrever, entenda um pouco sobre teoria, não precisa seguir regras, mas é importante saber que elas existem. Não existe fórmula para o sucesso, o que precisa é ter muita persistência. Aceitar críticas, porque são elas que nos melhoram como profissionais da escrita.
Leia vários gêneros, porque ajuda a ampliar vocabulário, a criar figuras de linguagem inteligentes e a fugir dos clichês. Procurem leitores beta, contratem serviço de revisão e leitura crítica. Mostrem que valorizam os leitores tanto quanto vocês gostam que valorizem vocês.

16. O que você tem a dizer para os leitores do catraca seletiva?

Que continuem acompanhando o Catraca Seletiva. O conteúdo é diversificado, inteligente e criativo. É um espaço para conhecer literatura, autores e, o mais importante, tem conteúdo significativo.

17. Onde podemos encontrar seus livros para compra? Qual você indica que nossos leitores conheçam primeiro?

Tenho um livro à venda, apenas. O Ascendente, que pode ser adquirido na loja da editora Cafeína Literária. Todos os outros, estão à disposição no Wattpad. Para conhecer um pouco de O Ascendente, deixei o prólogo disponível nessa mesma plataforma.
O link da Cafeína Store é: http://loja.cafeinaliteraria.com.br/
O link do meu site: http://www.ceresmarconescritora.com/ Nele é possível encontrar o link para todos os meus trabalhos.
O link do meu blog, porque também faço resenha dos colegas: http://ceresmarcon.blogspot.com.br/

18. É chegado ao fim da nossa entrevista. Muito obrigado pela oportunidade e pela paciência. Sucessos !

Eu agradeço, também. E aproveito para agradecer os colegas que me indicaram para a entrevista. Espero que todos tenhamos muito sucesso em nossa jornada criativa na área da escrita.
Um grande abraço!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.