Ads Top

[ENTREVISTA] Juliana Daglio — Autora de "O Lago Negro"

Juliana Daglio | Acervo Pessoal | Divulgação

E  a nossa convidada de hoje teve um de seus títulos considerados um dos melhores livros nacionais pelos leitores do nosso querido portal. Juliana Daglio tem 27 anos, é paulista e psicóloga clínica. Apaixonada pela escrita desde pequena, Daglio começou cedo na literatura criando seus próprios personagens para ter com quem conversar — E hoje ela dá uma pausa neste mundo de faz de conta e divide conosco um pouco de seus projetos, planos e segredos.


1. Como nasceu o seu relacionamento com a escrita?


Desde pequena sempre tive um relacionamento muito próximo com os livros e com a ficção em geral. As histórias me fascinavam e me deixavam absorta em um mundo próprio. Conseguia me isolar do mundo lendo um livro ou assistindo um filme, mesmo de conteúdo mais adulto. Não tardou para que eu descobrisse que criar histórias também era possível. Comecei com amigos imaginários, fazendo pequenos enredos em que eu vivia num mundo paralelo com eles. Dali em diante, o desejo de escrever minha própria história só foi crescendo, e já aos oito anos eu dizia para minha mãe que escreveria um livro quando crescesse. 


2. Qual foi o primeiro livro que você escreveu? E como surgiu a ideia de escrever um livro?


Uma Canção para a Libélula. Surgiu na faculdade de psicologia, quando as teorias de psicanálise me fizeram abrir os olhos para diversas coisas que me causavam dúvidas antes. Como desenvolvemos transtornos? Por que não esquecemos alguns traumas? O que os sonhos querem dizer? 

Enquanto fui respondendo a essas questões através da teoria, a ficção dentro de mim ganhou asas. A personagem principal do livro, assim como eu na época em que a ideia surgiu, sofre de depressão. Através da Vanessa eu pude explorar os aspectos da doença, mostrando aos leitores que esse problema é real, não frescura e nem drama. Depressão é coisa séria e pode matar. 


Juliana Daglio e seu livro "Uma canção para libélula"

3. Quais suas principais inspirações literárias?


Meu autor favorito e maior influência é Carlos Ruiz Zafón. Eu quero, um dia, ser 1% do autor que ele é. Zafon é extraordinário, uma inspiração e um mestre. 


4. O que você considera mais difícil durante a escrita de uma história?


O processo todo não é fácil, mas não sei escolher uma parte especifica. Cada etapa tem sua característica própria, e não há nenhuma dela que eu desgoste. Aproveito cada uma delas com carinho. 


5. Quais seus livros? E qual deles você mais gostou de escrever?


Uma Canção para a Libélula, O Lago Negro - série (Submersão e Profundezas Sombrias), Lacrymosa. 
Ah, eu não posso contar, ou eles ficariam com ciúmes. Brincadeira. Eu gostei muito de escrever todos eles. Passei por processos diferentes em cada um, com tempos diferentes, leituras betas diversas, logo não tem como escolher o que mais gostei. Mas o que mais me deu trabalho, ainda dá, é a série O Lago Negro, pelo vasto conteúdo a ser explorado nos quatro livros. 


6. Qual de seus personagens você mais gosta?


Tenho uma forte identificação com a Vanessa, de Uma Canção para a Libélula. Por ter passado por depressão várias vezes na vida, me inspirei nos meus sentimentos para compor a personalidade dela. Mas com o tempo, criei o Liam Velásquez, segundo protagonista de O Lago Negro. O Liam é um personagem problemático, cheio de arrogância e prepotência, mas muito protetor e ágil. Os pensamentos dele vão sendo desconstruídos ao longo da narrativa. Ele vai sofrendo mudanças, muitas delas, e se vê descobrindo seus preconceitos, sua onipotência falha, aos poucos se tornando o verdadeiro herói de si mesmo. Essa transformação dele para mim está sendo incrível de acompanhar. Liam está sofrendo muito, mas alcançando um tipo de graça. Foi o personagem mais complexo e mais antagônico que criei, e acho que por isso ele é meu preferido, por ser tão humano e tão distante de estereótipos ou da definição clássica de "bem e mal". 


7. Como você sente quando recebe um comentário positivo acerca de sua obra?


Muito!! Mas aproveito também os que não são tão bons, para crescer e melhorar. :D


8. Pretende escrever novos livros? Tem algum projeto em mente chegando?


Tenho Lacrymosa em processo de edição, e estou planejando um novo manuscrito. Ainda em fase de construção de personagens. 


9. Qual gênero literário você mais se identifica?


Terror e Suspense psicológico. Mas leito de tudo um pouco. 


10. O que você diria para as pessoas que estão conhecendo tanto você, quanto a sua escrita agora?


Eu diria para não estranharem a loucura e para se sentirem abraçados, pois apesar de minhas histórias conterem essas doideiras meio obscuras, eu sou uma criatura carinhosa e cheia de abraços quentinhos para distribuir. 


11. O que as pessoas devem esperar da sua escrita?


Acho que elas podem esperar encontrar minha alma nelas. 
As primeiras obras tem um quê de amadorismo, talvez, mas mesmo nelas todo o meu coração estava lá. As mais novas já foram escritas com mais técnica, muito estudo, cursos e mais leituras que complementaram meu desenvolvimento, porém não tirei nada do sentimento de transcendência que senti ao escrever o primeiro. Escrever é minha força vital, então espero que possam sentir isso ao ler os livros. 


12. Qual passagem do seu livro te marcou mais? Existe um trecho que você goste mais que os outros?


O final da primeira parte de Uma Canção para a Libélula. O que aconteceu lá foi difícil de colocar para fora e até hoje me lembro das palavras que usei. Sem dúvida me marcou mais do que qualquer outro trecho. 


Sessão de autógrafos | Juliana Daglio

13. Como foi a recepção do público com relação ao seu primeiro livro?


De forma Surpreendente, foi muito boa. Por ser o primeiro livro, eu considero que ele não estava tão ágil e perfeito, mas mesmo assim ele foi abraçado pelos leitores e teve resenhas muito positivas. Eu creio que isso tenha me dado muita força para continuar. 


14. O que te inspira a continuar escrevendo?


Eu não consigo não escrever. É algo que faz parte de mim, sem o qual eu enlouqueceria. Mas minha verdadeira inspiração, agora, são os leitores que se uniram a mim nesse sonho doido de compartilhar histórias.


15. O que você diria para alguém que está iniciando a escrita do seu primeiro livro?


Leia muito! Muito muito muito! Leia de tudo, até aquilo que você não gosta. Reescreva, revise, se deixe auto-criticar um pouco antes de dar a obra como finalizada. Depois que você olhar para ela e sentir que está pronta para o mundo, então lute com todas as garras e NÃO DESISTA. 


16. O que você tem a dizer para os leitores do catraca seletiva?


É um prazer está aqui falando um pouco de mim para vocês, assim como meus amigos escritores que seguem nessa jornada também. Espero que não tenham se assustado com minha loucura saudável, mas se sentiram meu coração batendo nessas palavras e querem saber mais sobre meu trabalho, estou sempre aberta em minhas redes sociais. Não hesitem em me procurar. 


17. onde podemos encontrar seus livros para compra? Qual você indica que nossos leitores conheçam primeiro?


Uma Canção para a Libélula e O Lago Negro estão disponíveis no site da Editora Arwen e em várias livrarias on-line, como Amazon, Cultura, Submarino e Martins Fontes. 
Para quem gosta de um drama com romance, pode começar por Uma Canção, mas quem curte Suspense, O Lago é a estreia ideal. 


18. É chegado ao fim da nossa entrevista. Muito obrigado pela oportunidade e pela paciência. Sucessos !

Eu que agradeço! Foi um prazer enorme! 

A AUTORA

Vinte e poucos anos, Psicóloga Clínica, apaixonada por Psicanálise, viciada em Livros e amante do Rock Britânico. Desde criança foi vidrada em faz de conta e inventava inúmeros personagens para conversar. Assistia a filmes sobre vampiros já aos seis anos, mesmo que tivesse que se esconder atrás do sofá. Na adolescência, dizia que iria ser uma Libélula. Hoje em dia se diz uma adulta confusa, que ainda adora vampiros, não ganhou asas de libélula, mas escreveu um livro sobre elas, transformando seus personagens inventados em pessoas reais, embora sejam feitas de tinta e papel.

Livros publicados por Daglio:

 LAGO NEGRO

ISBN-13: 9788568255117
ISBN-10: 8568255116
Ano: 2015 / Páginas: 368
Idioma: português 
Editora: Arwen

Verônica é uma garota problemática marcada por um passado traumático do qual mal se lembra, mas que lhe tirou o direito à total sanidade. Ao se mudar para o interior, depois de passar no vestibular, ela se depara com o local perfeito para se inspirar e, finalmente, transformar seus personagens imaginários em um livro. Lagoana é uma cidade nebulosa, úmida, habitada por almas quietas e pouco amigáveis. Porém, o clima obscuro não despertará somente a criatividade, mas também acordará seus fantasmas mais profundos. Prestes a perder o controle sobre sua trama e sua mente, Verônica conhece um estrangeiro de sorriso cafajeste e olhos azuis e, desconfiada de suas intenções, ela guarda segredo quanto ao seu livro, mas não sabe que Liam também tem os seus. Verônica nem desconfia, mas eles podem ser a chave para os mistérios que a rondaram durante toda sua vida. Assim, o lago negro de sua imaginação será, definitivamente, o estopim para toda sua loucura emergir. O que será que ele esconde no fundo de suas águas escuras?

SUBMERSÃO

ISBN-13: 9788568255605

ISBN-10: 8568255604
Ano: 2016 / Páginas: 360
Idioma: português 
Editora: Arwen


Para Verônica Cattani os monstros que tanto tememos e desconhecemos não vivem embaixo da cama, ou atrás dos armários, muito menos em filmes de Terror – eles vivem dentro de sua própria mente. Depois de se mudar pra Lagoana e descobrir que sua memória esconde enigmas ainda mais profundos, ela se vê frente a frente com pessoas que nem imaginava fazerem parte de seu passado. Em seus textos, estão todas respostas e a família Caprini parece temer tantos seus significados quanto ela os teme. Liam não tem mais segredos. O garoto da capa vermelha saiu de seus sonhos, retornou para seu presente, e enfrenta os Caprini com costas eretas e um cinismo único. Ele é a única coisa que a impede de mergulhar agora. Seu pedaço de sanidade numa mente caótica. Porém o Anjo de Asas Douradas está prestes a se revelar, trazendo em seu poder algo que será difícil recusar: a oportunidade de saber o que existe nas profundezas.

UMA CANÇÃO PARA A LIBÉLULA

ISBN-13: 9788566754599

ISBN-10: 856675459X
Ano: 2016 / Páginas: 368
Idioma: português 
Editora: Editora Arwen


Um segredo antigo, uma alma conturbada, uma comprida escada. Valéria agora está de frente com a verdade e com uma velha amiga, a Loucura. Depois de um final aterrador, Uma Canção para a Libélula - parte I, deixou leitores ansiosos pela sua continuação. A história da jovem pianista Vanessa, e sua luta contra a Vilã Cinzenta, conquistou corações pelo Brasil inteiro e agora tem seu desfecho. A Menina que se encontrou com a Libélula viveu um sofrimento extremo, mergulhando em sua alma obscura para nos contar sua história. Dentro de um casulo escuro os segredos permeiam, envenenando toda a existência dessa família marcada por uma morte precoce. Diante das rachaduras há uma descoberta incrível: asas de diamante, um voo alto em meio às nuvens de um entardecer cor de algodão doce, e o encontro mais importante de uma existência. Seja forte agora, mas não contenha suas lágrimas. Ouça a Canção até o final.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.