Ads Top

[ENTREVISTAS] Igor Feijó — Autor de "Artífices da Vontade"

Igor Feijó | Acervo Pessoal | Divulgação

1. Como nasceu o seu relacionamento com a escrita?

R: Essa é mole! Quando eu era pequeno meus pais assinaram a revista da turma da mônica, com isso eu me apaixonei pelas histórias e comecei a inventar as minhas. Mais tarde eu esbarrei com o RPG e Dungeons and Dragons,
foi um ponto decisivo pra começar de fato a escrever minhas histórias e narra-las.

Em busca do (amor) prato perfeito.
2. Qual foi o primeiro livro que você escreveu? E como surgiu a ideia de escrever um livro?

R: O primeiro livro de fato foi o Artífices da Vontade, minha fantasia urbana. Eu adoro o mundo da magia e tudo que envolve os cenários em que ela esteja presente. Queria muito ler algo, mas não encontrava no mercado, então decidi escrever aquilo que não encontrava. Queria trazer pra literatura fantástica um jeito novo de tratar a magia e todos os seus sistemas.

3. Quais suas principais inspirações literárias?

R: Eu chamo de Os Quatro Poderes: J.K.Rowling, Neil Gaiman, H.P.Lovecraft e Eduardo Spohr.

4. O que você considera mais difícil durante a escrita de uma história?

R: Não tem algo específico (digo, no meu caso). Existem momentos em que algo se torna difícil e outros não.

5. Quais seus livros? E qual deles você mais gostou de escrever?

R: Artífices da Vontade e Em busca do (amor) Prato Perfeito. Por uma questão de afinidade, sem dúvida o primeiro. O segundo livro encarei mais como um desafio, pois, apesar de gostar muito de seridos e filmes de comédia romantica, nunca me aventurei a escrever este gênero. Mas posso dizer que gostei muito do resultado final.

6. Qual de seus personagens você mais gosta?

R: Victoriya. É uma agente do primeiro livro que lidera uma equipe de extermnínio contra seres sobrenaturais que perturbam a ordem. Porém, o que mais gosto nela é o seu passado e tudo o que ela esconde dentro dele. Apesar de parecer forte, está sempre com uma duvida constante martelando sua mente.

7. Como você sente quando recebe um comentário positivo acerca de sua obra?

R: Até hoje eu não sei lidar (É sério, haha!). Eu fiquei extremamente feliz quando a primeira pessoa veio comentar sobre a obra e posso dizer que esta felicidade só aumenta com o passar dos anos. Já fui parado na rua algumas vezes e isso foi o que mais me chocou, já encontrei pessoas com o livro em transporte público, ou com um livro diferente, mas o marcador do Artífices.
Eu agradeço todo dia pelos leitores que Artífices me deu a oportunidade de conhecer.

Igor Feijó | Acervo Pessoal | Divulgação
8. Pretende escrever novos livros? Tem algum projeto em mente chegando?

R: Pretendo não parar de escrever (rs). Tenho vários! No momento tenho o segundo livro usando o mesmo universo visto em Artífices fechado, estou esperando minha revisora para iniciar o processo. Estou escrevendo também uma fantasia urbana sobre vampiros,
que também nasceu da necessidade de ver algo diferente usando estes seres. Eu não sei se as pessoas vão gostar, mas garanto que  será algo novo (até agora recebi muitos feedbacks positivos dos leitores que estão acompanhando).

9. Qual gênero literário você mais se identifica?

R: Fantasia (particularmente a urbana).

10. O que você diria para as pessoas que estão conhecendo tanto você, quanto a sua escrita agora?

R: Que venham conversar comigo sobre suas opiniões. Se vocês gostaram ou não, estarei sempre lá pra bater um papo, gosto de me aproximar dos meus leitores (não importa se leu 2 páginas ou o livro todo). Uma coisa eu posso prometer a vocês, estou na busca constante para trazer algo diferente (tanto na narrativa quanto nas histórias) e segundo os próprios leitores, tenho conseguido.
Este é o meu norte e se um dia eu desviar deste caminho, quero que me puxem de volta (costumo dizer que, sem leitores não somos nada. Somos caneta e papel, word e palavras).

Igor Feijó | Acervo Pessoal | Divulgação
11. O que as pessoas devem esperar da sua escrita?

R: Algo que as prenda. Que as façam querer virar a próxima página. Que estendam os cinco minutinhos antes de dormir para completar um capitulo.

12. Qual passagem do seu livro te marcou mais? Existe um trecho que você goste mais que os outros?

R: Eu gosto de tantos, mas vou separar aqui um em especial que consta na lista dos favoritos. 

"Muitos libertos haviam se perdido pelo caminho por não mudarem seu interior, por não analisarem o que suas ações poderiam acarretar ao seu redor. Engana-se quem diz que não somos armas; somos bombas com efeitos inúmeros e imprevisíveis. 

13. Como foi a recepção do público com relação ao seu primeiro livro?

R: Muito melhor do que eu esperava (na verdade, nem mesmo imaginava que chegaria a alguém, rsrs).

14. O que te inspira a continuar escrevendo?

R: Enquanto houver leitores eu estarei escrevendo. Escrever faz parte da minha vida. É como andar, beber agua, respirar, algo que
eu não posso viver sem. 

15. O que você diria para alguém que está iniciando a escrita do seu primeiro livro?

R: Nunca deixei alguém dizer que não consegue ou que isso é uma perda de tempo. A verdadeira vingança contra aqueles que não acreditam em você é sua obra escrita, seu trabalho terminado. E se alguma vez te faltar forças para prosseguir, olhe
pro lado, nós nunca estamos sozinhos nesta (não devemos ficar).

16. O que você tem a dizer para os leitores do catraca seletiva?

R: Agradeço a todos vocês por terem a paciência de ler um cara desconhecido, ainda mais uma entrevista. Podem me adicionar nas redes, podem vir conversar comigo. Se você leu o livro podemos conversar, se tem interesse, mas ainda não conseguiu um exemplar venha conversar também. Se alguém quiser conversar sobre processo de escrita, publicação ou algo do gênero, estarei aqui. Prometo fazer alguns sorteios do livro se assim o Catraca Seletiva quiser. 

E só pra finalizar, algo que gosto muito de relembrar: quando gostarem de alguma obra, comentem sobre ela, façam resenhas (não precisa ser um testamento, apenas sua opinião) ou espalhem no boca a boca mesmo. Um autor nunca cresce sozinho, ele precisa da ajuda de seus leitores, um autor nacional precisa ainda mais desta força. 

17. onde podemos encontrar seus livros para compra? Qual você indica que nossos leitores conheçam primeiro?

Pra quem curti uma comédia romantica diferente, leia Em busca do (amor) prato perfeito. Em breve estarei vendendo o físico,
mas pra quem não se incomoda com digital vou deixar o link da Amazon. 

18. É chegado ao fim da nossa entrevista. Muito obrigado pela oportunidade e pela paciência. Sucessos !

PUBLICAÇÕES DO AUTOR

Artífices da Vontade

ISBN-13: 9788569030195
ISBN-10: 8569030193
Ano: 2016 / Páginas: 272
Idioma: português 
Editora: Drago Editorial


Uma temida data marca a chegada de uma força desconhecida que lança sua presença nefasta sobre o mundo. Essa força é chamada de Sombra. A magia está morrendo e o mundo está desacreditado. Seres de fantasia estão aos poucos sendo esquecidos pelo povo. Órgãos secretos são criados pelos governos para proteção... A única chance parece estar nas mãos dos libertos - pessoas capazes de moldar a realidade - em devolver o espírito à humanidade e no meio disso ainda encontrar forças para lutar contra escuridão impedindo que tudo se torne vazio. Mas e se encontrarmos escuridão dentro de nós? Quantos irão querer enxerga-la a ponto de combatê-la?

Em Busca do (Amor) Prato Perfeito

ISBN: B01MTTME1A
Ano: 2016 / Páginas: 106
Idioma: português 
Editora: Independente


Já parou alguma vez e se perguntou o que os homens tem em comum com pratos de comida, temperos e especiarias? Esse é o modo que Giovanna enxerga as etapas de uma conquista, o percurso de um envolvimento e uma finalização de cair o queixo. Preservem seus paladares, sintam o aroma que invade suas narinas, degustem com um toque de leveza para que assim não percam nada em seu processo. A comida não é só um alimento bonito, não é só algo que serve ao nosso propósito de saciamento. Comida, meus caros, é um pedaço da vida.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.