Ads Top

30 Livros escritos por mulheres para inspirar o seu dia

08/03 - Feliz dia da mulher !

Quantos livros escritos por mulheres você leu este ano? Quantos livros escritos por mulheres você leu em toda a sua vida? A chance de você dizer que são pouquíssimos os títulos e que provavelmente você não lembra, é imensa. A representatividade da mulher na literatura ainda é escassa, mesmo que representem um maior percentual quando o quesito é leitura, a representatividade feminina na escrita ainda é longínqua do considerado ideal, afinal, o espaço literário (e qualquer outro espaço) foi produzido para todos, sem distinção ou preconceito.

A mulher enfrenta um sério problema dentro da literatura brasileira: Ausência de espaço. Obviamente você deve pensar com todo o seu saber e pensar que há espaço para todos nas prateleiras das livrarias, porém, faça o teste: Entre em uma livraria aleatória, selecione um setor ou estante e procure por títulos que tenham sido devidamente escrito por mulheres e contabilize com relação aos que encontrar escrito por homens, o resultado é assustador. O problema se perpetua para fora do país, a representatividade da mulher dentro da literatura ainda é escassa, a igualdade de gênero não chegou as prateleiras ainda, não como se deve, não como gostaríamos e com toda certeza: Não como elas gostariam.

Comemorando o dia internacional da mulher, decidimos criar esta lista com 10 livros inesquecíveis escrito por mulheres. Esperamos que nossas reflexões e indicações possam abrir os horizontes dentro das mentes de cada escritor.


1) A amiga Genial — Elena Ferrante

ISBN-13: 9788525060600
ISBN-10: 8525060607
Ano: 2015 / Páginas: 336
Idioma: português 
Editora: Biblioteca Azul


A Série Napolitana, formada por quatro romances, conta a história de duas amigas ao longo de suas vidas. O primeiro, "A Amiga Genial", é narrado por Elena Greco e cobre da infância aos 16 anos. As meninas se conhecem em uma vizinhança pobre de Nápoles, na década de 1950. Elena, a menina mais inteligente da turma, tem sua vida transformada quando a família do sapateiro Cerullo chega ao bairro e Raffaella, uma criança magra, mal comportada e selvagem, se torna o centro das atenções. Essa menina, tão diferente de Elena, exerce uma atração irresistível sobre ela.



As duas se unem, competem, brigam, fazem planos. Em um bairro marcado pela violência, pelos gritos e agressões dos adultos e pelo medo constante, as meninas sonham com um futuro melhor. Ir embora, conhecer o mundo, escrever livros. Os estudos parecem a melhor opção para que as duas não terminem como suas mães entristecidas pela pobreza, cansadas, cheias de filhos. No entanto, quando as duas terminam a quinta série, a família Greco decide apoiar os estudos de Elena, enquanto os Cerrulo não investem na educação de Raffaella.As duas seguem caminhos diferentes. 

Mais que um romance sobre a intensidade e complexa dinâmica da amizade feminina, Ferrante aborda as mudanças na Itália no pós-guerra e as transformações pelas quais as vidas das mulheres passaram durante a segunda metade do século XX. Sua prosa clara e fluída evoca o sentimento de descoberta que povoa a infância e cria uma tensão que captura o leitor. 


2) Livre — Cheryl Strayed

ISBN-13: 9788539004744
ISBN-10: 8539004747
Ano: 2013 / Páginas: 376
Idioma: português 
Editora: Objetiva


Aos 22 anos, Cheryl Strayed achou que tivesse perdido tudo. Após a repentina morte da mãe, a família se distanciou e seu casamento desmoronou. Quatro anos depois, aos 26 anos, sem nada a perder, tomou a decisão mais impulsiva da vida: caminhar 1.770 quilômetros da Pacific Crest Trail (PCT) – trilha que atravessa a costa oeste dos Estados Unidos, do deserto de Mojave, através da Califórnia e do Oregon, em direção ao estado de Washington – sem qualquer companhia. Cheryl não tinha experiência em caminhadas de longa distância e a trilha era bem mais que uma linha num mapa. Em sua caminhada solitária, ela se deparou com ursos, cascavéis e pumas ferozes e sofreu todo tipo de privação. 



Em Livre, a autora conta como enfrentou, além da exaustão, do frio, do calor, da monotonia, da dor, da sede e da fome, outros fantasmas que a assombravam. “Todo processo de transformação pessoal depende de entrega e aceitação”, afirma. Seu relato captura a agonia, tanto física quanto mental, de sua incrível jornada; como a enlouqueceu e a assustou e como, principalmente, a fortaleceu. 
O livro traz uma história de sobrevivência e redenção: um retrato pungente do que a vida tem de pior e, acima de tudo, de melhor. 

“Minha caminhada solitária de três meses pela costa oeste teve muitos começos. Houve a primeira decisão repentina de fazê-la, seguida pela segunda resolução, mais séria, de realmente realizá-la e então o longo terceiro começo, composto de semanas de compras, empacotamento e preparação. Mas, na realidade, minha caminhada começou antes de eu sequer imaginar empreendê-la, mais precisamente quatro anos, sete meses e três dias antes, quando estava em um pequeno quarto da Clínica Mayo, em Rochester, Minnesota, e soube que minha mãe ia morrer”, escreve a autora. 

Bobbie, a mãe de Cheryl, era uma saudável vegetariana não fumante, que morreu aos 45 anos, exatos 49 dias depois do diagnóstico de câncer de pulmão. “Sempre soube que minha mãe havia partido muito jovem. Mas só agora, aos 44 anos, prestes a completar a mesma idade, é que me dou conta do quanto ela era jovem”, diz a autora. Seu pai era um homem violento, que saiu de casa abandonando a mulher com os três filhos, quando Cheryl tinha apenas seis anos, a irmã Karen, nove, e o irmão Leif, dois. “Nosso pai nos maltratava, era tirânico. Minha mãe era ‘minha heroína’, mas eu estava determinada a não seguir seu exemplo.”, conta a autora, atualmente mãe de dois filhos e feliz em seu segundo casamento. 

O contato de Cheryl com a vida selvagem tem antecedentes. Ao completar 10 anos, sua mãe casou-se com Eddie, um carpinteiro trabalhador e amável, que levou sua família para morar numa casa rústica de madeira de sucata, construída por ele num pequeno lote de 40 hectares de terra na área rural de Minnesota. Não havia eletricidade, água corrente, telefone nem banheiro interno – nada, entretanto, que se comparasse ao que enfrentou na caminhada solitária em que se deparou entre ursos, cascavéis e pumas ferozes, sofrendo todo tipo de privação. Como se não bastassem a exaustão, o frio, o calor, a monotonia, a dor, a sede e a fome, Cheryl tinha ainda que enfrentar outros fantasmas que a assombravam. “Todo processo de transformação pessoal depende de entrega e aceitação”, afirma. 

“Minha mãe rejeitava a religião católica e não fomos criados sob nenhuma doutrina. Saí nessa experiência em busca de uma definição de Deus que explicasse a minha perda. Eu não sabia o quanto as duas coisas eram conectadas”, explica. Hoje, a caminhada na PCT é uma peregrinação anual. A cada ano, Cheryl refaz uma parte da trilha com o marido Brian e seus filhos. "As crianças adoram. Brincam dizendo que vão fazer ‘aquela coisa da mamãe’.” 

“Meu principal desejo para meus filhos é o mesmo que minha mãe desejava para nós: que se sintam amados e sejam pessoas boas. A bondade é a mais importante das virtudes”, acredita Cheryl, que traça um retrato pungente do que a vida tem de melhor e pior. “Este livro é sobre como suportar o que não podemos suportar”, resume.


3) Não sou uma dessas — Lena Dunham

ISBN-13: 9788580576214
ISBN-10: 8580576210
Ano: 2014 / Páginas: 304
Idioma: português 
Editora: Intrínseca


Lena Dunham , a premiada criadora, produtora e estrela da série Girls, da HBO, apresenta uma coleção de relatos pessoais hilários, sábios e dolorosamente sinceros que a revelam como um dos jovens talentos mais originais da atualidade. Em Não sou uma dessas, Lena conta a história de sua vida e faz um balanço das escolhas e experiências que a conduziram à vida adulta.



4) A garota da banda — Kim Gordon

ISBN-13: 9788568432358
ISBN-10: 8568432352
Ano: 2015 / Páginas: 288
Idioma: português 
Editora: Rocco


Lançamento do selo Fábrica231, a badalada autobiografia A garota da banda, de Kim Gordon, chega ao Brasil depois de conquistar público e crítica nos Estados Unidos e na Europa. Fundadora da banda Sonic Youth, ao lado do ex-marido Thurston Moore, Kim Gordon foi baixista e vocalista do grupo por mais de três décadas, além de produtora musical, artista visual, ícone fashion e atriz que continua a influenciar gerações de mulheres. No livro, ela narra sua trajetória com o mesmo estilo visceral e livre de amarras com que se apresenta nos palcos. E começa de trás para frente, partindo de dois términos entrelaçados: o divórcio do casal e o fim do Sonic Youth, ambos um baque para os fãs. A partir daí, a autora fala de casamento, maternidade, feminismo, de seu background familiar, da paixão pelas artes visuais e, claro, de música, com uma narrativa não linear, mas sempre fascinante. 

5) A vida na porta da geladeira — Alice Kuipers

ISBN-13: 9788578271541
ISBN-10: 8578271548

Ano: 2009 / Páginas: 226
Idioma: português 
Editora: Martins Fontes


Claire, de 15 anos, e sua mãe têm uma rotina muito atribulada. Nos raros momentos em que a mãe está em casa (ela é obstetra), a filha está na escola, com amigos ou com o namorado. Resultado: as duas quase não se veem e se comunicam deixando recados na porta da geladeira. Esses recados vão desde cobranças banais [Oi, MÃE! (Que eu NUNCA MAIS vi!)] até revelações tocantes e contundentes por parte de mãe e filha durante o penoso tratamento do câncer de mama da mãe, num ano que se revelará decisivo para as duas. Em seu romance de estreia, Kuipers capta a ansiedade por trás da tragédia e revela a importância de viver a vida intensamente, lembrando ao leitor a necessidade de encontrarmos tempo para as pessoas que amamos mesmo em momentos de dificuldade e desafios.


6) Luzes de Emergência se Acenderão Automaticamente — Luisa Geisler

ISBN-13: 9788579623165
ISBN-10: 8579623162
Ano: 2014 / Páginas: 296
Idioma: português 
Editora: Alfaguara


Luisa Geisler constrói em Luzes de emergência se acenderão automaticamente uma narrativa sutil, às vezes entremeada com um humor desconcertante, em outras com passagens cativantes. Ao compor esse mosaico, a autora desenvolve um romance surpreendente, emocional, sobre as incertezas do amadurecimento.



De certa forma, um relacionamento são duas pessoas que se recusam a desistir uma da outra. Duas pessoas igualmente ferradas, claro. É o que escreve Henrique, ou Ike, em cadernos que carrega consigo para todos os lugares. São cadernos em que fala de seu dia a dia, dos amigos, e de sonhos difusos que ele guarda para o futuro.

Henrique mora nos subúrbios de Porto Alegre com os pais, e é um garoto que se considera, em todos os aspectos, uma pessoa normal. Está na faculdade, trabalha num posto de gasolina em meio período, tem uma namorada. Fala pouco, é introspectivo, mas cultiva amizades sólidas. Tudo muda quando seu melhor amigo, Gabriel, bate a cabeça num acidente banal e, pouco tempo depois, é hospitalizado em coma. Após uma cirurgia de emergência, não há muito que fazer por ele, dizem os médicos. Apenas esperar. E Ike, os pais de Gabriel, o irmão mais velho e os amigos aguardam o menor sinal de melhora.

É então que, perto do Natal, Ike começa a escrever. São cartas em sequência ao amigo, como uma conversa, onde relata o que se passa na ausência do amigo. Para “quando tu acordar”, diz ele. “Queria saber quando tu ia acordar, como tu tá, o que tem acontecido, se tem algo que dê pra fazer”, escreve Henrique. As cartas são entremeadas por narrativas curtas, que dão a elas uma dimensão adicional: até que ponto Ike sabe realmente o que acontece à sua volta? O que pensam os outros?


7) O primeiro homem mau — Miranda July

ISBN-13: 9788535926026
ISBN-10: 853592602X
Ano: 2015 / Páginas: 304
Idioma: português 


Um espetacular romance de estreia que é tão comovente, sujo, terno, engraçado — tão Miranda July — que seus leitores ficarão arrebatados Cheryl é uma mulher reclusa e vulnerável. Ela é obcecada por Phillip, um sujeito galanteador e membro do conselho da empresa em que trabalha — uma organização que treina mulheres para autodefesa. Cheryl acredita que eles já fizeram amor em muitas vidas — mas ainda precisam consumar o ato nesta encarnação. Quando seus chefes pedem a ela que hospede brevemente Clee, a filha do casal, uma garota egoísta e cruel de 21 anos, seu mundo vira de cabeça para baixo. Mas é ela que traz Cheryl para a realidade e se torna o amor de sua vida. Lírico, engraçado, cheio de obsessões sexuais e amor maternal, este romance confirma Miranda July como uma voz espetacularmente original da cultura contemporânea. 

8) A mulher perfeita é uma vaca — Anne Sophie Girard


ISBN-13: 9788580577815
ISBN-10: 8580577810
Ano: 2015 / Páginas: 160
Idioma: português 
Editora: Intrínseca


Todo mundo conhece uma mulher perfeita, aquela de modos requintados, corpo esbelto, ativa, culta, sem olheiras... e insuportável. Já você passa a vida toda lutando contra a balança, o chocolate, a preguiça de ir à academia, a falta de tempo, os planos que não dão certo. Você está sempre em busca da perfeição e, no fim, só o que consegue é se sentir infeliz. Pois saiba que ser perfeita é uma ilusão — e o pior: não evita celulite nem flacidez. Ao contrário, pode fazer muito mal à saúde e causar depressão. 

9) Você é minha mãe? — Alison Bechdel

ISBN-13: 9788535922783
ISBN-10: 8535922784
Ano: 2013 / Páginas: 304
Idioma: português 
Editora: Quadrinhos na CIA


Em Fun Home, a graphic-novel que alçou Alison Bechdel ao estrelato nos quadrinhos, a autora falava da relação conturbada com o pai, um professor de literatura e gay enrustido que cuidava ainda de uma agência funerária situada na casa da família. A essa história, Bechdel intercalava a narrativa de suas descobertas intelectuais e sexuais - aos dezenove anos, a autora contou à família que era gay -, numa reflexão sobre gênero, família e morte. Fun Home acabou por se tornar um dos quadrinhos mais premiados da última década, tendo sido eleito livro do ano pela revista Time, a única HQ a receber a distinção.


Nesta continuação de Fun Home, Bechdel segue na trilha de seu passado, investigando agora a relação com a mãe, uma atriz amante de música e literatura presa a um casamento infeliz. Num relato emocionante e divertido, 



a autora se debruça sobre o abismo que a separa de sua mãe - que parou de tocar 

ou beijar a filha antes de dormir, “para sempre”, quando ela tinha sete anos - em busca de respostas e de novas perspectivas para o futuro de ambas. Combinando elementos tão díspares quanto a vida e obra do psicanalista Donald Winnicott, uma ilustração do Dr. Seuss e a própria (e monogâmica em série) vida amorosa, Bechdel persegue uma frágil e surpreendente trégua entre ela e a família.

10) Não se iluda não — Isabela Freitas

ISBN-13: 9788580577686
ISBN-10: 8580577683
Ano: 2015 / Páginas: 272
Idioma: português 
Editora: Intrínseca


Depois de passar um ano sem namorado, Isabela está determinada a realizar o grande sonho de ser uma escritora reconhecida. Resolve dar os primeiros passos anonimamente, criando um blog onde assina como 'A Garota em Preto e Branco'. Em seu diário virtual, ela desabafa, fala dos amigos, dos não tão amigos assim, e confessa suas aventuras e desventuras amorosas. Assunto é o que não falta. Durante uma temporada agitada em Costa do Sauípe, na Bahia, acompanhada por Pedro, Amanda e sua insuportável prima Nataly, Isabela conhece o irresistível Gabriel, um sujeito praticamente perfeito, a não ser por um pequeno detalhe... Entre shows e passeios na praia, Isabela precisa admitir para si mesma que sente uma atração cada vez maior pelo seu melhor amigo. Em seu segundo livro, Isabela Freitas dá sequência às histórias dos personagens de 'Não se apega, não'. Dessa vez, com a cabeça nas nuvens e os pés firmemente no chão, a personagem Isabela vai em busca daquilo que seu coração realmente deseja, mesmo quando seu caminho é bem acidentado e cada curva parece esconder uma nova surpresa.

11) Operação Impensável — Vanessa Bárbara


Operação Impensável foi o nome de um plano de ataque à União Soviética liderado pelo então primeiro-ministro britânico, Winston Churchill, logo após a Segunda Guerra Mundial. Segundo a historiadora Lia, essa foi a manobra que deu início à Guerra Fria, conflito entre os Estados Unidos e a União Soviética que durou 45 anos. Operação Impensável é também um plano de Lia para descobrir definitivamente o que há de errado em seu casamento com Tito. Para ela, o conflito dura 43 dias angustiantes.


Durante cinco anos, o casal viveu o que parecia ser uma história de amor, pontuada por e-mails espirituosos, muitos filmes comentados a dois e inúmeras partidas de jogos de tabuleiro. Mas aos poucos a paz conjugal é substituída por um clima de tensão em que as relações de poder são permeadas de ameaças implícitas. Como na Guerra Fria, não há um confronto bélico declarado. Algo parece prestes a explodir. E, no caso de Lia e Tito, a explosão realmente acontece.

12) História do novo sobrenome — Elena Ferrante

ISBN-13: 9788525061225
ISBN-10: 8525061220
Ano: 2016 / Páginas: 470
Idioma: português 
Editora: Biblioteca Azul


Elena Ferrante, pseudônimo da consagrada escritora italiana de A amiga genial, lançará no Brasil, pela Biblioteca Azul, o segundo volume da tetralogia napolitana. Recentemente indicada ao Man Booker Prize 2016 por Story of the Lost Child, último livro da série, a autora, firme na decisão de não revelar sua real identidade, se tornou um fenômeno literário mundial após a publicação, em 2011, do primeiro dos quatro romances que formam a saga ambientada na Nápoles do pós-guerra. 



Best-sellers nos Estados Unidos e na Europa, as obras de Ferrante contam a história da forte ligação das amigas Elena Greco, narradora da história, e de Rafaella Cerullo, mais conhecida como Lila, percorrendo todas as fases da vida das duas, nascidas e crescidas no subúrbio de Nápoles, nos anos de 1950. Após o repentino desaparecimento de Lila, aos 66 anos, Lenu repassa a vida da amiga, explorando os ecos desta em sua própria existência.

Envolvente e com a costumeira cadência impecável, a narrativa de História do novo sobrenome dá espaço para reflexões profundas a respeito da subjetividade, da sexualidade, do amor e, sobretudo, do papel imposto à jovem mulher em meados do século XX ― contraponto construído entre as duas personagens centrais, às voltas com as restritas possibilidades de escolha, mas ao mesmo tempo surpreendidas pelas descobertas acerca de suas próprias capacidades e seus limites.

Lila, que teve os estudos interrompidos por questões familiares – muito cedo teve que trabalhar com o pai e o irmão, se casou cedo. Lenu, por sua vez, consegue se desvencilhar do destino certo das moças da época e não se casa, mas passa a se preparar para a faculdade, levando consigo as marcas definitivas da complexa relação de amizade com Lila – admiração misturada a identificação.

Os personagens vão ganhando espaço na história, não apenas nos acontecimentos cotidianos relatados por Lenu, como também nos comentários subjetivos da narradora. Lenu, sem poupar de nada o leitor, escancara cenas de casamento, de adultério, de supostas e reais traições dentro de uma amizade, mas também os pequenos momentos em que parece acertar as contas com ela mesma.


13) Por um sentido na vida — Amy Purdy

ISBN-13: 9788522030989
ISBN-10: 8522030987
Ano: 2015 / Páginas: 224
Idioma: português 
Editora: Nova Fronteira


Se sua vida fosse um livro e você, o autor, como gostaria que a sua história terminasse?



Em Por Um Sentido Na Vida, Amy divide com fãs e leitores de todo o mundo sua jornada, uma prova da força de vontade que reside dentro de cada um de nós e do poder que todos temos de sonhar mais alto, quebrar paradigmas e reescrever nossas histórias. Com a certeza de que o mundo espiritual lhe deu uma segunda chance para que ela pudesse usar sua trajetória para inspirar os outros, em suas memórias Amy nos incentiva a aproveitar a vida ao máximo e jamais duvidar de que somos capazes de muito mais do que jamais imaginamos.

"Em Por um sentido na vida, Amy demonstra que é possível permanecer forte após uma tragédia e divide uma série de princípios espirituais que mostram nosso potencial infinito de crescimento. Uma mulher notável - e uma joia de livro." — Deepak Chopra

"Amy Purdy é muito mais do que uma campeã olímpica. Ela é uma pioneira e um exemplo de força. Suas memórias são muito honestas e bem escritas, e me encorajam tanto quanto sua presença."
Elizabeth Gilbert

"Amy Purdy é a verdadeira definição do que significa desafiar as adversidades. Fiquei impressionado com sua determinação, coragem e graciosidade. Tão fenomenais quanto a mulher que as escreveu, suas memórias são um presente que deve ser lido, relido e divido com quem você ama."


14) A Mão Esquerda da Escuridão — Ursula K. Le Guin

ISBN-13: 9788576571841
ISBN-10: 8576571846
Ano: 2014 / Páginas: 296
Idioma: português 
Editora: Aleph


Genly Ai foi enviado a Gethen com a missão de convencer seus governantes a se unirem a uma grande comunidade universal. Ao chegar no planeta Inverno, como é conhecido por aqueles que já vivenciaram seu clima gelado, o experiente emissário sente-se completamente despreparado para a situação que lhe aguardava. Os habitantes de Gethen fazem parte de uma cultura rica e quase medieval, estranhamente bela e mortalmente intrigante. Nessa sociedade complexa, homens e mulheres são um só e nenhum ao mesmo tempo. Os indivíduos não possuem sexo definido e, como resultado, não há qualquer forma de discriminação de gênero, sendo essas as bases da vida do planeta. Mas Genly é humano demais. A menos que consiga superar os preconceitos nele enraizados a respeito dos significados de feminino e masculino, ele corre o risco de destruir tanto sua missão quanto a si mesmo.

15) Eu sou Malala —Malala Yousafzai e Christina Lamb

ISBN-13: 9788535923438
ISBN-10: 8535923438
Ano:2013 / Páginas: 360
Idioma: português 


Quando o Talibã tomou controle do vale do Swat, uma menina levantou a voz. Malala Yousafzai recusou-se a permanecer em silêncio e lutou pelo seu direito à educação. Mas em 9 de outubro de 2012, uma terça-feira, ela quase pagou o preço com a vida. Malala foi atingida na cabeça por um tiro à queima-roupa dentro do ônibus no qual voltava da escola. Poucos acreditaram que ela sobreviveria.



Mas a recuperação milagrosa de Malala a levou em uma viagem extraordinária de um vale remoto no norte do Paquistão para as salas das Nações Unidas em Nova York. Aos dezesseis anos, ela se tornou um símbolo global de protesto pacífico e a candidata mais jovem da história a receber o Prêmio Nobel da Paz. Eu sou Malala é a história de uma família exilada pelo terrorismo global, da luta pelo direito à educação feminina e dos obstáculos à valorização da mulher em uma sociedade que valoriza filhos homens. 

O livro acompanha a infância da garota no Paquistão, os primeiros anos de vida escolar, as asperezas da vida numa região marcada pela desigualdade social, as belezas do deserto e as trevas da vida sob o Talibã. Escrito em parceria com a jornalista britânica Christina Lamb, este livro é uma janela para a singularidade poderosa de uma menina cheia de brio e talento, mas também para um universo religioso e cultural cheio de interdições e particularidades, muitas vezes incompreendido pelo Ocidente. 

Sentar numa cadeira, ler meus livros rodeada pelos meus amigos é um direito meu, ela diz numa das últimas passagens do livro. A história de Malala renova a crença na capacidade de uma pessoa de inspirar e modificar o mundo.


16) Meus desacontecimentos — Eliane Brum

ISBN-13: 9788580448436
ISBN-10: 8580448433
Ano: 2014 / Páginas: 144
Idioma: português 
Editora: LeYa


A menina que flertava com a morte conta como foi salva pela palavra escrita. Em cada página, personagens fantasticamente reais incorporam-se: a irmã morta, que era a mais viva entre todos; a avó, comedida em tudo, menos na imaginação; a família que precisou de uma perna fantasma para andar no novo mundo; as tias que viravam flores para não murchar.
Como repórter e escritora, Eliane sempre questionou a forma como cada um inventa uma vida e cria sentido para seus dias. Em Meus desacontecimentos, conta como ela mesma se arrancou do silêncio para virar narrativa. Neste itinerário de dentro para dentro, a autora percorre-se com delicadeza, mas sem pudor. Oferece-se ao leitor nua. Quase em sacrifício."

"A premiada jornalista Eliane Brum revela suas mais profundas memórias de infância De quantos nascimentos e mortes se constitui uma vida? De quantos partos uma pessoa precisa para nascer? Com quantas palavras se faz um corpo?

17) A arte de pedir — Amanda Palmer

ISBN-13: 9788580576894
ISBN-10: 858057689X
Ano: 2015 / Páginas: 304
Idioma: português 
Editora: Intrínseca


Cantora e compositora, ícone indie, feminista, agitadora e mobilizadora de multidões online: Amanda Palmer é um retrato perfeito da boa conexão entre o artista e seu público.



Após desligar-se de sua gravadora, Amanda recorreu ao então recém-lançado Kickstarter, site de financiamento coletivo, para conclamar os fãs a colaborar financeiramente para a produção do próximo álbum de sua banda. O projeto arrecadou mais de 1 milhão de dólares, recorde que chamou atenção tanto da imprensa como da indústria fonográfica. Desse episódio surgiu o convite para uma celebrada palestra nos TED Talks. O tema: saber pedir.

Desdobramento inevitável da palestra homônima, o livro A arte de pedir trata essencialmente de recorrer ao outro, sem temor, sem vergonha e sem reservas. Por que não pedimos ajuda, dinheiro, amor, com a mesma naturalidade com que pedimos uma cadeira vazia num restaurante ou uma caneta, na rua, para fazer uma anotação? Pedir é digno e necessário, e é a conexão entre quem dá e quem recebe que enriquece a vida humana, defende Amanda. Longe de ser um manual sobre como pedir, o livro é uma provocação bem-vinda e urgente, que incita o leitor a superar seus medos e admitir o valor de precisar e doar ajuda, sempre.

“Amanda tem uma ligação direta com seu público — um vínculo essencial para ambos.”Bono, vocalista da banda U2


18) Mal entendido em Moscou — Simone de Beauvoir

ISBN-13: 9788501104342
ISBN-10: 8501104345
Ano: 2015 / Páginas: 144
Idioma: português 
Editora: Record


Um livro inédito de Simone de Beauvoir, publicado pela primeira vez na França em 1992. 

André e Nicole, dois professores universitários aposentados que sentem o peso da idade, viajam para a União Soviética pela segunda vez na vida. Lá, encontram a filha do primeiro casamento de André, Macha, uma mulher decidida que vive na grande experiência do socialismo do século XX. Assim, inicia-se uma série de mal-entendidos relacionados a questões individuais e coletivas - a não comunicação, a ideia de envelhecer, o amor de longa data, o papel e a identidade da mulher, as expectativas políticas etc. 

Mal-entendido em Moscou, que se vale das experiências de Simone de Beauvoir e de seu marido, Jean-Paul Sartre, em viagem à União Soviética, é um tocante relato sobre decepções políticas e sentimentais que lançam uma luz sobre a singularidade de nossa existência. 

"Neste texto inédito, Simone de Beauvoir narra a crise existencial suprema. " 
Le Figaro

- Diversos livros da autora figuram entre os livros mais importantes do século XX. 
- O texto de orelha do livro é assinado por Rinaldo Gama. 


19) A vítima perfeita — Sophie Hannah

ISBN-13: 9788532529480
ISBN-10: 8532529488
Ano: 2015 / Páginas: 432
Idioma: português 
Editora: Rocco


Naomi Jenkins dedica-se a um trabalho incomum: construir por encomenda relógios de sol nos quais sempre grava frases em latim: “Horas non numero nisi aestivas” (“Eu só conto as horas ensolaradas”). É solteira, mora com uma amiga, e há três anos passou por uma dolorosa experiência, que não quer revelar a ninguém. Nem sequer a Robert Haworth, o motorista de caminhão que é seu amante, e com quem se encontra todas as quintas-feiras, no mesmo horário, e no mesmo quarto de hotel.



Um dia, Robert não comparece ao encontro e não atende as chamadas de telefone. Desconfiada, Naomi decide procurá-lo. O caminhão está estacionado em frente a casa dele, mas, mesmo assim, ao espiar pelas janelas, ela intui que alguma coisa terrível aconteceu. Sobretudo quando Juliet, a mulher de seu amante, a descobre espionando, e lhe diz, friamente, que as duas, a partir de agora, estarão muito melhor sem ele.

Quando Naomi procura a polícia para registrar o desaparecimento de Robert, entram em cena outros personagens importantes na obra de Sophie Hannah: os detetives Charlie Zailer e Simon Waterhouse, casal cheio de química, e que vive às turras com o inspetor Giles Proust, apelidado Homem de Neve. A agitada Charlie e o circunspecto Simon são protagonistas de uma série de livros da autora, e conferem um tom mais ameno, às vezes francamente engraçado, às tramas mais pesadas dos livros.

Para chamar a atenção, Naomi inventa que o amante é, na verdade, um psicopata sexual. Relata então seu segredo, uma agressão que ela própria vivenciara, com requintes de crueldade e teatralidade, e que estava relatada em um site de ajuda a mulheres que sofreram com abusos sexuais e estupros.

Romance que aborda a relação entre homens e mulheres, sem descuidar do mistério e da intriga, daqueles que não se consegue parar de ler até a última página, A vítima perfeita ainda reserva surpresas e reviravoltas inesperadas. Aos poucos, o leitor vai se dando conta de que todos os personagens estão ligados de alguma maneira – e que todos escondem algum tipo de segredo. 


20O Pintassilgo — Donna Tartt

ISBN-13: 9788535924688
ISBN-10: 853592468X
Ano: 2014 / Páginas: 721
Idioma: português 


Theo Decker, um nova-iorquino de treze anos, sobrevive milagrosamente a um acidente que mata sua mãe. Abandonado pelo pai, Theo é levado pela família de um amigo rico. Desnorteado em seu novo e estranho apartamento na Park Avenue, perseguido por colegas de escola com quem não consegue se comunicar e, acima de tudo, atormentado pela ausência da mãe, Theo se apega a uma importante lembrança dela: uma pequena, misteriosa e cativante pintura que acabará por arrastá-lo ao submundo da arte. 



Já adulto, Theo circula com desenvoltura entre os salões nobres e o empoeirado labirinto da loja de antiguidades onde trabalha. Apaixonado e em transe, ele será lançado ao centro de uma perigosa conspiração. 

O pintassilgo é uma hipnotizante história de perda, obsessão e sobrevivência, um triunfo da prosa contemporânea que explora com rara sensibilidade as cruéis maquinações do destino.


21) A filha perdida — Elena Ferrante 

ISBN-13: 9788551000328
ISBN-10: 8551000322
Ano: 2016 / Páginas: 176
Idioma: português 
Editora: Intrínseca


“As coisas mais difíceis de falar são as que nós mesmos não conseguimos entender.” Com essa afirmação ao mesmo tempo simples e desconcertante Elena Ferrante logo alerta os leitores: preparem-se, pois verdades dolorosas estão prestes a ser reveladas.


Lançado originalmente em 2006 e ainda inédito no Brasil, o terceiro romance da autora que se consagrou por sua série napolitana acompanha os sentimentos conflitantes de uma professora universitária de meia-idade, Leda, que, aliviada depois de as filhas já crescidas se mudarem para o Canadá com o pai, decide tirar férias no litoral sul da Itália. Logo nos primeiros dias na praia, ela volta toda a sua atenção para uma ruidosa família de napolitanos, em especial para Nina, a jovem mãe de uma menininha chamada Elena que sempre está acompanhada de sua boneca. Cercada pelos parentes autoritários e imersa nos cuidados com a filha, Nina parece perfeitamente à vontade no papel de mãe e faz Leda se lembrar de si mesma quando jovem e cheia de expectativas. A aproximação das duas, no entanto, desencadeia em Leda uma enxurrada de lembranças da própria vida — e de segredos que ela nunca conseguiu revelar a ninguém.



No estilo inconfundível que a tornou conhecida no mundo todo, Elena Ferrante parte de elementos simples para construir uma narrativa poderosa sobre a maternidade e as consequências que a família pode ter na vida de diferentes gerações de mulheres.


22) Uma noite na praia — Elena Ferrante

ISBN-13: 9788551000366
ISBN-10: 8551000365
Ano: 2016 / Páginas: 40
Idioma: português 
Editora: Intrínseca


Uma das mais importantes escritoras da atualidade, Elena Ferrante retorna ao universo de A filha perdida, romance que ela considera um divisor de águas em sua carreira, para contar essa fábula sombria, narrada do ponto de vista de Celina, uma boneca que é perdida em uma praia.

Após ganhar um gatinho de presente do pai, Mati — dona de Celina e sua melhor amiga — fica tão fascinada que acaba esquecendo a boneca, que é a sua favorita. Deixada para trás na areia deserta e sem saber como voltar para casa, Celina vai enfrentar uma noite interminável, cheia de sustos e surpresas, além da companhia indesejada de um salva-vidas cruel e seu terrível ancinho. À luz das chamas de uma fogueira, a noite transforma-se numa aventura fantástica e assustadora que só termina ao nascer do sol.

Uma história de impressões e percepções, ao mesmo tempo leve e repleta de tensão, dedicada não só ao público infantil, mas aos fãs da autora de todas as idades.

23) A mulher Desiludida — Simone de Beauvoir

ISBN-13: 9788520914144
ISBN-10: 8520914144
Ano: 1986 / Páginas: 190
Idioma: português 
Editora: Biblioteca Folha


Em A mulher desiludida, temos a reunião de três contos: “A idade da discrição”, “Monólogo” e “A mulher desiludida”. São três histórias distintas, independentes. Na primeira, um casal de intelectuais de esquerda se vê em conflito com as posições cada vez mais conservadoras do filho, o que se pode ver como prenúncio do choque de gerações de Maio de 68. Na segunda se dá o monólogo de uma mulher angustiada e fora de si, após dois casamentos fracassados e o suicídio da própria filha. A última história trata do desmoronamento da vida de uma mulher abandonada pelo marido e desprezada pelas filhas. Indo do envelhecimento, passando pela solidão e culminando no abandono dos entes queridos, os contos refletem sobre a condição da mulher e seu papel na sociedade.

24) Triptico — Karin Slaughter

ISBN-13: 9788501093455
ISBN-10: 8501093459
Ano: 2012 / Páginas: 392
Idioma: português 
Editora: Record


Um assassino cruel e frio está aterrorizando Atlanta. Atacando jovens, velhos, ricos ou pobres, nos subúrbios chiques ou nos conjuntos habitacionais, ele parece não ter nenhuma fronteira. Os detetives que investigam o caso talvez precisem não ter barreiras também para encontrá-lo. Entre eles está o veterano detetive Michael Ormewood - cujo casamento está por um fio e cuja arrogância está ameaçando sua carreira - e Angie Polaski, uma linda policial de narcóticos, que foi amante de Michael antes de se tornar sua maior inimiga. Para surpresa de ambos, a chave para resolver o caso pode estar nas mãos de um ex-condenado, que se depara com o rastro do assassino.

25) O escolhido foi você — Mirada July

ISBN-13: 9788535922219
ISBN-10: 8535922210
Ano: 2013 / Páginas: 224
Idioma: português 

“Como você passa o seu tempo?”. “Qual é a sua lembrança mais antiga?”. “Quais são seus planos para o futuro?”. “Qual foi a parte mais estranha da sua vida até agora?”. Em diferentes regiões de Los Angeles, um punhado de pessoas comuns recebeu Miranda July para responder perguntas como essas. Os entrevistados chamaram a atenção da autora em razão dos itens que anunciaram no jornalzinho PennySaver, distribuído semanalmente pelo correio.


Miranda estava em busca de histórias e pessoas reais que pudessem alimentá-la em seu projeto à época, o longa-metragem O futuro. No jornal, deparou-se com estranhos itens à venda, como girinos e bonecos dos Ursinhos Carinhosos, e, sem saber direito o que procurava — além de inspiração, histórias e motivos para continuar o filme —, resolveu conhecer os anunciantes e seus objetos.

Michael, aos sessenta e tantos anos, está passando por cirurgias para mudar de sexo e pôs uma jaqueta preta de couro à venda. Primila anuncia trajes exóticos a preços módicos para ajudar uma aldeia indiana. Andrew cuida de um laguinho que ele mesmo construiu no quintal e cria girinos, esperando arrecadar algum dinheiro. Entremeando os relatos dos encontros com fotos de seus personagens e reflexões sobre o processo, ela faz de O escolhido foi você um making of que vai além das circunstâncias da criação. De seu olhar curioso para o outro surgem questionamentos a respeito de sua própria vida e da matéria de que são feitas as obras de arte.

26) Do que é feita uma garota — Caitlin Moran

ISBN-13: 9788535925999
ISBN-10: 8535925996
Ano: 2015 / Páginas: 392
Idioma: português 

Imagine a voz de Sylvia Plath em Grease, com trilha de My Bloody Valentine e Velvet Underground. Um romance de formação hilário, sobre como é difícil se tornar alguém “Wolverhampton, em 1990, parece uma cidade a que algo terrível aconteceu.” Talvez tenha acontecido de fato. Talvez seja Margaret Thatcher, talvez seja a vergonha que Johanna Morrigan passou num programa da TV local aos catorze anos. Nossa protagonista decide então se reinventar como Dolly Wilde — heroína gótica, loquaz e Aventureira do Sexo, que salvará a família da pobreza com sua literatura. Aos 16 anos, ela está fumando, bebendo, trabalhando para um fanzine de música, escrevendo cartas pornográficas para rock stars, transando com todo tipo de homem e ganhando por cada palavra que escreve para destruir uma banda. Mas e se Johanna tiver feito Dolly com as peças erradas? Será que uma caixa de discos e uma parede de pôsteres bastam para se fazer uma garota? 
27) Cadê você, Bernadete? — Maria Semple

ISBN-13: 9788535922936
ISBN-10: 8535922938
Ano: 2013 / Páginas: 376
Idioma: português 

Bernadette Fox é notável. Aos olhos de seu marido, guru tecnológico da Microsoft e rock star do mundo nerd, ela se torna mais maníaca a cada dia; para as demais mães da Galer Street, escola liberal frequentada pela elite de Seattle, ela só causa desgosto; os especialistas em design ainda a consideram uma gênia da arquitetura sustentável, e Bee, sua filha de quinze anos, acha que tem a melhor mãe do mundo. 


Até que Bernadette desaparece do mapa. Tudo começa quando Bee mostra seu boletim (impecável) e reivindica a prometida recompensa: uma viagem de família à Antártida. Mas Bernadette tem tal ojeriza a Seattle - e às pessoas em geral - que evita ao máximo sair de casa, e contratou uma assistente virtual na Índia para realizar suas tarefas mais básicas. Uma viagem ao extremo sul do planeta é uma perspectiva um tanto problemática. 


Para encontrar sua mãe, Bee compila e-mails, documentos oficiais e correspondências secretas, buscando entender quem é essa mulher que ela acreditava conhecer tão bem e o motivo de seu desaparecimento. Maria Semple revela, em seu segundo romance, a influência de grandes escritores contemporâneos como Jonathan Franzen e Jeffrey Eugenides, ao mesmo tempo que se afirma como uma voz original, marcada pelo melhor humor das séries de TV norte-americanas. Sem sentimentalismos, mas com muita empatia, Cadê você, Bernadette? trata do amor incondicional de uma filha por sua mãe imperfeita.

28) Como ser mulher — Caitilin Moran

ISBN-13: 9788565530095
ISBN-10: 8565530094
Ano: 2013 / Páginas: 240
Idioma: português 
Editora: Editora Paralela

Nesta obra de humor e militância, a jornalista Caitlin Moran rememora suas experiências mais marcantes como mulher, da adolescência à maturidade, e busca abrir um novo caminho para o feminismo ao tratar de temas caros à mulher moderna. A partir de um péssimo aniversário de treze anos, ela fala sobre adolescência, trabalho, machismo, relacionamentos, amor, sexo, peso, maternidade, aborto, moda, compras e modelos de comportamento, sempre com um olhar crítico e muito humor. Nesta mistura de livro de memórias e manifesto feminista, as mulheres podem reconhecer coisas que fizeram, pensaram e disseram.

29) Linha M — Patti Smith

ISBN-13: 9788535926934
ISBN-10: 8535926933
Ano: 2016 / Páginas: 216
Idioma: português 

Depois do cultuado Só garotos, a lendária cantora e escritora Patti Smith volta à sua odisseia pessoal em Linha M, que ela chama de um mapa para minha vida . O livro começa no Greenwich Village, o bairro que tanto marcou sua história. Todos os dias a artista vai ao mesmo café e, munida de seu caderno de anotações, registra suas impressões sobre o passado e o presente, a arte e a vida, o amor e a perda. Num tom que transita entre a desolação e a esperança e amplamente ilustrado com suas icônicas polaroides , Linha M é uma meditação sobre viagens, séries de detetives, literatura e café. Um livro poderoso e comovente de uma das mais multifacetadas artistas em atividade. 

30) Mulherzinhas — Louisa May Alcott

ISBN-13: 9788585653088
ISBN-10: 8585653086
Ano: 2001 / Páginas: 236
Idioma: português 
Editora: Musa

Mulherzinhas nos convida à inteligência, que hoje está fugindo, à juventude perene desses jovens do século XIX, cujas aspirações essenciais podem ser reconhecidas nos jovens de sempre. Livro clássico para ser lido e guardado. Com ele a avó presentear a neta, a mãe a filha, todos se presentearem mutuamente, amigos a amigos, com essas adoráveis mulheres.




31) Mulheres que não sabem chorar — Lilian Farias

ISBN-13: 9788582700655
ISBN-10: 8582700652
Ano: 2016 / Páginas: 210
Idioma: português 
Editora: Giz

A vida de Marisa é regida pelo controle. Seja à frente do seu trabalho ou da vida dos filhos, ela é racional, mantendo-se sempre fria, um ser à parte das banalidades, cuja única preocupação é ser um exemplo. Olga é sua antítese. Sentimentos à flor da pele, dor flagelando a carne, pensamentos embaçados pelo esquecimento proporcionado pelo álcool. Sozinha, preocupa-se em apenas ser, em um mundo cercado por fatos que não reconhece mais como seus. Enquanto isso, Ana e Verônica esbarram com o acaso.



Duas senhoras solitárias, vizinhas e antagônicas. Será que um dia alguém acharia que poderiam viver em paz? Mais ainda, será que poderiam se apaixonar? Duas jovens livres e independentes. O que as impede de ficar juntas? 

Mulheres que não sabem chorar é mais que uma história de amor entre iguais. Junto a estas personagens tão humanas, o leitor vê-se despido dos preconceitos, pudores e medos. Ora crua, ora poética, a trama nos obriga a enfrentar o espelho e se ver como nunca imaginou antes. Pois ao mergulhar neste romance, o que fará você pensar não é a forma como vê o amor, mas sim a forma com que ele se volta em sua direção. Esteja preparado.

(Danilo Barbosa - Autor de Arma de Vingança)

32) Capitolina — Várias autoras

ISBN-10: 8565765849
Ano: 2015 / Páginas: 192
Idioma: português 
Editora: Seguinte

Textos escritos e ilustrados por garotas que buscam representar todas as jovens, inclusive as que não se encaixam nos moldes tradicionais da adolescência A revista on-line Capitolina surgiu em 2014 como uma alternativa à mídia tradicional voltada ao público feminino adolescente. Sua proposta é criar um conteúdo colaborativo, inclusivo e livre de preconceitos, abordando temas como relacionamentos, feminismo, cinema, moda, games, viagens e muito mais. Esta edição reúne os melhores textos publicados em um ano de revista, além de vários artigos inéditos e atividades interativas, para que cada leitora também ajude a construir o livro. As jovens vão encontrar conselhos, dicas, reflexões, muito apoio e, principalmente, a sensação de que não estão sozinhas.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.