Ads Top

[RESENHA] Histórias de viagem — Rafael Magro

Editora Autografia
ISBN-10:9788555266553
Páginas: 124/ Ano: 2016
Avaliação: 8/10

Todo mundo adora viajar. Desbravar o mundo, conhecer novas culturas, lugares, comidas e pessoas é uma paixão que rende boas memórias e experiências. Rafael Magro, em Histórias de Viagem, conta o que viveu nos diversos trajetos que já percorreu, além de compartilhar suas impressões sobre os novos lugares que visitou e as lembranças que ele trouxe em sua bagagem. No livro, Rafael conta situações engraçadas e inusitadas pelas quais passou durante suas viagens, através de uma linguagem descontraída e que interessa cada vez mais o leitor para conhecer, mesmo de longe, um pouco do mundo. Para o autor, mais do que fotografias, levamos dessa quebra de rotina e do encontro com o desconhecido algumas experiências, e são elas que Rafael quer compartilhar com o público.  Histórias de Viagem é um livro para qualquer ocasião. Leve, inspirador e divertido, é indicado para qualquer pessoa que adore conhecer um pouco mais do mundo, mesmo sentado em uma poltrona, ou que apenas deseje se desligar um pouco da realidade em que vive. Rafael utiliza de sua ótima escrita para tirar um sorriso de quem ler Histórias de Viagem – e consegue.
Histórias de viagem é um livro que reúne diversas experiências do autor Rafael Magro pelo mundo afora. O livro possui uma narrativa simples e direta, o que faz com que a narrativa dos fatos flua com mais suavidade e tranquilidade. Este é o tipo de livro que você se sente péssimo em ler quando está trabalhando ou extremamente ocupado, afinal, a vontade que dá de conhecer cada um dos locais relatados pelo autor acaba nos dominando por completo.

Acompanhado sempre de seu amigo Eduardo, Rafael nos conta detalhadamente cada momento das viagens relatadas — A maioria delas engraçadas, outras mostram experiências adquiridas pelo mundo —. O que mais chama atenção na narrativa do autor é a forma como são redigida os fatos, ele não preocupa-se apenas em narrar a parte engraçada, ele conta curiosidades sobre o local, o ano em que ocorreu, a arquitetura da cidade, como são as pessoas, o trânsito e claro, o contexto histórico carregado pela história. O livro pode ser uma excelente companhia para quem deseja sair do país e conhecer lugares novos e inusitados, afinal, ele funcionaria perfeitamente como um guia turístico, claro que, possui relatos de viagens pelo Brasil.

Ao ler o livro você pode observar que a dissertação dos fatos ocorridos narram exatamente uma coisa que pode acontecer com qualquer um: O contato com o que é novo. A maioria das experiências do autor que são relatadas neste livro, nos mostram momentos constrangedores, engraçados e até difíceis de lidar pelo simples fato de desconhecerem o idioma local (ou conhecerem pouco), a cultura, a culinária e claro, coisas inusitadas como: O funcionamento de uma porta, horários, descarga sanitária, saída e entrada de trens e outros fatos nos quais todos nós estamos sujeitos ao fazer um mochilão fora do país.

A história que mais me agradou em todo o livro é relatada em Milão, na Europa. Ao sair para comer fora com seu amigo Eduardo, Rafael escolhe um ambiente para comer uma pizza, tudo ocorre perfeitamente bem, até que a senhora da recepção pergunta: Caldo o freddo? Mesmo tendo aprendido um pouco de Italiano por consta de uma parte da família do pai, Rafael não fazia ideia do que aquilo queria dizer e continuou insistindo que só queria a pizza, até que a senhora se irrita e entrega seu pedido, já na mesa com o amigo, Rafel é notificado que "Caldo o freddo" é basicamente: Quente ou frio? E no fim das contas como a conversa não fluiu, acabou tendo que encerrar a noite comendo uma pizza fria.

Ah, muitos dos relatos do livro falam sobre futebol, por incrível que pareça eles estavam sempre viajando quando o Brasil estava em campo, porém, assistiram os jogos em lugares inusitados em diferentes datas, inclusive, há relatos de encontro com outros brasileiros no livro.

COMENTÁRIOS

O livro é do autor paulista é interessantíssimo em diversas partes e é recomendado para diferentes tipos de público, você pode da-lo de presente para um amigo que pretende conhecer a Europa (já que muitas das narrativas se passam por lá) ou você pode lê-lo durante uma viagem aleatória, visto que, o livro nos provoca uma imensa vontade e sensação de viajar, existe hora melhor para lê-lo do que viajando? Claro que não.

A capa do livro é incrível, simplesmente impecável e casou perfeitamente com o enredo do livro, já que mostra uma estrada e um hotel. O livro é composto em Electra Lt impresso pela editora autografia e conta com páginas offsset 75g/m² e capa com acabamento brochura. A revisão do livro está impecável, o que quer dizer que você não enfrentará nenhum problema durante a leitura.

Enfim, recomendo para todos os mochileiros de plantão.

SOBRE AUTOR

Rafael Magro é brasileiro, natural de São Paulo capital e apaixonado por viagens. Ao longo de seus trinta e três anos viajou bastante, a trabalho, e também por conta própria, em alguns mochilões pelo Brasil e pelo mundo afora.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.