Ads Top

+20 livros para entender melhor a história do Brasil


Você já procurou pesquisar sobre o Brasil? Então, provavelmente você deve ter deparado-se com uma carência extrema de livros e matérias que explicitem de forma direta e didática a formação do povo brasileiro, seu passado, seus orgulhos, suas vergonhas e suas conquistas. Reunimos 22 livros que narram de forma direta e concreta a história do Brasil, desde a época colônia aos dias atuais. Alguns livros servirão para entendermos o papel da exploração do Brasil com as mulheres, escravos e sus submissão aos países maiores. Esperamos que esta lista seja favoritada em seu navegador e sirva como fonte de pesquisa para conseguir obter bons resultados de forma prática sem muita pesquisa acerca do Brasil.

RAÍZES DO BRASIL - SÉRGIO BUARQUE DE HOLANDA

Nunca será demasiado reafirmar que Raízes do Brasil inscreve-se como uma das verdadeiras obras fundadoras da moderna historiografia e ciências sociais brasileiras. Tanto no método de análise quanto no estilo da escrita, tanto na sensibilidade para a escolha dos temas quanto na erudição exposta de forma concisa, revela-se o historiador da cultura e ensaísta crítico com talentos evidentes de grande escritor. A incapacidade secular de separarmos vida pública e vida privada, entre outros temas desta obra, ajuda a entender muito de seu atual interesse. E as novas gerações de historiadores continuam encontrando, nela, uma fonte inspiradora de inesgotável vitalidade.

O POVO BRASILEIRO - DARCY RIBEIRO

Por que o Brasil ainda não deu certo? Quando chegou ao exílio no Uruguai, em abril de 1964, Darcy Ribeiro queria responder a essa pergunta na forma de um livro-painel sobre a formação do povo brasileiro e sobre as configurações que ele foi tomando ao longo dos séculos. A resposta veio com este que é o seu livro mais ambicioso, fruto de trinta anos de estudo - uma tentativa de tornar compreensível, por meio de uma explanação histórico-antropológica, como os brasileiros se vieram fazendo a si mesmos para serem o que hoje somos. Uma nova Roma, lavada em sangue negro e sangue índio, destinada a criar uma esplêndida civilização, mestiça e tropical.


O ABOLICIONISMO - JOAQUIM NABUCO

Esta obra busca ser não apenas uma defesa da libertação dos escravos, mas um programa de reforma da sociedade imperial e uma crítica de suas estruturas e instituições. Deseja expressar uma época em que despontavam as primeiras manufaturas capitalistas e começavam a se reformular as relações, as ideias, as instituições e as próprias classes sociais.







SER ESCRAVO NO BRASIL - KÁTIA DE QUEIRÓS MATTOSO




Nesta obra, a autora procura vincular o local, o regional, com uma visão de conjunto, além de abordar temas, tais como o da alforria e do liberto, em suas ligações com o escravismo em geral.







A INTEGRAÇÃO DO NEGRO NA SOCIEDADE DE CLASSES - FLORESTAN FERNANDES

O livro é dividido em dois volumes e é um marco na sociologia brasileira em mais de um sentido. De um lado, é uma das teses mais famosas já apresentadas na USP e, de outro, é a consolidação de nosso maior sociólogo, assim como o pleno desenvolvimento de sua sociologia histórica. Se no volume I o autor coloca em xeque de modo explícito “o mito da democracia racial”, além de promover um deslocamento conceitual e geográfico da questão racial no Brasil, introduzindo, de um lado, a abordagem marxista da sociedade de classes, e de outro, o caso paulista em lugar do nordestino, no volume II, mais propriamente sociológico e menos conceitual-histórico, Florestan Fernandes aborda diretamente o movimento ou movimentos negros — ou melhor, a emergência e as perspectivas de tais movimentos na sociedade e na política brasileiras.

CASA GRANDE E SENZALA - GILBERTO FREYRE

A edição comemorativa do livro conta com textos de Darcy Ribeiro, Roland Barthes, entre outros, que mostram a recepção crítica do livro ao longo dessas oito décadas. Valorizando o papel do negro na história brasileira, exaltando a miscigenação racial, desmistificando preconceitos e reconhecendo a originalidade de nossa cultura, Gilberto Freyre revolucionou a historiografia. Com uma linguagem que em muitos aspectos se aproxima da literatura e, por vezes, com um tom irreverente, Freyre abalou o meio intelectual dos anos 1930 com este livro ao apresentar, por meio de uma sólida pesquisa em arquivos e bibliotecas do Brasil e do exterior, a miscigenação racial como uma vantagem da sociedade brasileira. Esse posicionamento era bastante polêmico não somente no Brasil como também no exterior, visto que no mesmo ano de 1933, Adolf Hitler assumia na Alemanha o posto de chanceler do III Reich, propagando a doutrina da raça ariana pura.

FORMAÇÃO DO BRASIL CONTEMPORÂNEO, COLÔNIA - CAIO PRADO JUNIOR


A obra acerca do pensamento social e da historiografia brasileira e apresenta texto sobre as relações entre nação e colônia no processo histórico que originou o Brasil. O livro trata, entre outros assuntos, do sentido da colonização; Povoamento; Raças; Economia; Grande lavoura; Agricultura de subsistência; Mineração; Pecuária; Produções extrativas; Artes e indústria e vida social e política.






AMERICA LATINA, MALES DA ORIGEM - MANOEL BOMFIM

Trata-se de uma das principais obras do historiador sergipano que, por tanto incomodar os conservadores, passou muitas décadas esquecido. Em seu ensaio, Darcy Ribeiro analisa o pioneirismo do autor na interpretação crítica da América Latina, e o prefácio de Franklin de Oliveira examina as razões do silêncio que o envolveu durante anos. Como destaca Antonio Candido, Manoel Bomfim prova que, na América Latina, o conservantismo, fruto do parasitismo, é o grande 'mal de origem'. Livro hoje reconhecido como clássico na bibliografia sobre América Latina e Brasil, ganhou edição revista, com capa e diagramação novas, em comemoração ao Centenário de seu lançamento (1905).

HISTÓRIA GERAL DA CIVILIZAÇÃO BRASILEIRA - SÉRGIO BUARQUE DE HOLANDA

Abrange cronologicamente a História do Brasil até 1964. Totalizando 11 volumes, a obra - dirigida por Sérgio Buarque de Holanda (períodos colonial e monárquico) e Boris Fausto (período republicano) - retrata diferentes campos da formação histórica do país, desde a organização material da sociedade até as formas de cultura e do pensamento. Este décimo primeiro volume, o último da coleção, analisa economia e cultura brasileiras entre a Revolução de 1930 e o Golpe Militar de 64. Os dois primeiros volumes são dedicados à época colonial - Do descobrimento à expansão territorial e Administração, economia, sociedade.



1808 - LAURENTINO GOMES



O propósito deste livro, resultado de dez anos de investigação jornalística, é resgatar e contar a história da corte lusitana no Brasil, a fim de devolver seus protagonistas à dimensão mais correta possível dos papéis que desempenharam duzentos anos atrás. '1808 - Como uma rainha louca, um príncipe medroso e uma corte corrupta enganaram Napoleão e mudaram a História de Portugal e do Brasil' é o relato de um dos principais momentos históricos brasileiros.


BRASIL: UMA BIOGRAFIA
Aliando texto acessível e agradável, vasta documentação original e rica iconografia, Lilia Moritz Schwarcz e Heloísa Starling propõem uma nova (e pouco convencional) história do Brasil. Nessa travessia de mais de quinhentos anos, se debruçam não somente sobre a “grande história” mas também sobre o cotidiano, a expressão artística e a cultura, as minorias, os ciclos econômicos e os conflitos sociais (muitas vezes subvertendo as datas e eventos consagrados pela tradição). No fundo da cena, mantêm ainda diálogo constante com aqueles autores que, antes delas, se lançaram na difícil empreitada de tentar interpretar ou, pelo menos, entender o Brasil. A história que surge dessas páginas é a de um longo processo de embates e avanços sociais inconclusos, em que a construção falhada da cidadania, a herança contraditória da mestiçagem e a violência aparecem como traços persistentes. Diverso e plural como o Brasil, o livro tem dez capas com diferentes combinações de cor. Lilia Moritz Schwarcz (1957) é professora titular do Departamento de Antropologia da Universidade de São Paulo e global scholar na Universidade Princeton. É autora, entre outros, de O espetáculo das raças (1993) e As barbas do imperador (1998). Heloisa Murgel Starling (1958) é professora titular da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e autora de Lembranças do Brasil (1999) e Os senhores das gerais (1986).

PARE DE ACREDITAR NO GOVERNO — POR QUE OS BRASILEIROS NÃO CONFIAM NOS POLÍTICOS E AMAM O ESTADO

Uma obra fundamental para o momento que vive o país. Por qual razão nós brasileiros, apesar de não confiarmos nos políticos, a quem dedicamos insultos dos mais criativos e variados, pedimos que o governo intervenha sempre que surgem problemas? Por que vamos para as ruas protestar contra os políticos e ao mesmo tempo pedir mais Estado – como se este não fosse gerido pelos... políticos? Por que odiamos os políticos e amamos o Estado? Por que chegamos à condição de depender do Estado para quase tudo? Bruno Garschagen busca entender como se formou historicamente no Brasil a ideia de que cabe ao governo resolver todos ou a maioria dos problemas sociais, políticos e econômicos. De Dom João VI a Dilma Rousseff, um compromisso inabalável uniu todos os governantes, inclusive aqueles chamados (erradamente, segundo o autor) de liberais ou neoliberais: a preservação do Estado monumental e mesmo o seu crescimento. Por quê? Para responder a esse conjunto de questões, o autor vasculha a história política do Brasil desde que os portugueses aqui chegaram até os dias de hoje. Com texto brilhante, leve, bem-humorado e informativo, recorrendo também às explicações de pensadores brasileiros e portugueses, tece uma espécie de conversa entre os intelectuais que refletiram sobre a cultura política do Brasil para narrar a história de um país cuja formação cultural se confunde com a onipresença da burocracia nacional. Bruno Garschagen é mestre em Ciência Política e Relações Internacionais pela Universidade Católica Portuguesa e Universidade de Oxford e formado em Direito. Colabora com textos e podcasts para o Instituto Ludwig von Mises Brasil, Ordem Livre, Instituto Millenium, O Insurgente e mantém seu próprio blog no qual trata de filosofia política, relações internacionais, economia e cultura.

POR TRÁS DA MÁSCARA — DO PASSE LIVRE AOS BLACK BLOCKS, AS MANIFESTAÇÕES QUE TOMARAM AS RUAS DO BRASIL

Neste notável e corajoso livro de estreia, desde já leitura obrigatória para o entendimento do Brasil, Flavio Morgenstern cumpre o que o título promete: desnuda sem dó, mais do que as “jornadas de junho” de 2013 em si, o espírito da insurreição e o cenário e os interesses que a incubaram. Valendo-se de sua consistente cultura política, sólida noção de tempo histórico, leitura (e releitura) arguta do noticiário, memória incorruptível, prosa abundante e humor desconcertante, o autor investiga e destrincha – com técnica original e abordagem inédita – aquela imensa onda de manifestações, tão imediatamente comprada como histórica quanto ainda hoje incompreendida.

IMPASSE DA DEMOCRACIA NO BRASIL

Em linguagem fácil e acessível, mostra por que o modelo de democracia construída em nosso país, baseado no presidencialismo de coalizão, chegou a seu limite e como a sociedade civil tem voltado às ruas para protestar. Este é um livro de oposição a um modo de fazer política, e está além das polêmicas entre esquerda ou direita. Leonardo Avritzer mostra como o país chegou a este momento de crise de crescimento e de evolução da cultura democrática. O autor percorre toda a história da democracia brasileira, desde a abertura em 1986, até os últimos lances– o pedido de impeachment da presidenta Dilma e as denúncias de corrupção envolvendo o presidente da Câmara, Eduardo Cunha –, passando por junho de 2013.

COLLOR PRESIDENTE

O governo Collor é dos mais (mal) falados da história brasileira. Mas quem de fato conhece, em detalhes, os trinta meses em que um desconhecido ex-governador de Alagoas presidiu o Brasil? Este livro vem para preencher esta grave lacuna. Autor do best-seller Década perdida, o historiador Marco Antonio Villa pesquisou arquivos desconhecidos, investigou documentos inéditos e entrevistou dezenas de personagens do período – inclusive o próprio Fernando Collor. O resultado é uma brilhante reconstrução do ambiente – político, econômico e cultural – que permitiu os trinta meses de turbulências, reformas, intrigas e corrupção do governo Collor.

A POEIRA DA GLÓRIA

Na contramão da análise convencional da literatura brasileira, Martim Vasques da Cunha ousa ao escrever o que estremeceu até mesmo o politicamente incorreto: em A poeira da glória, ele desmonta as teses sustentadas pela repetição da crítica, rechaça o estilo que falseia a sensibilidade moral e recoloca as ideias no lugar ao apontar como e quando a ideologia política envenenou a imaginação artística. Aos que pensavam que a crítica cultural no Brasil – mais que a simplesmente literária – havia encontrado “o fim da história” em Antonio Candido e seus discípulos, uma imensa surpresa: Martim recoloca todas as peças no tabuleiro, inclusive a de Candido. Dono de um texto que convence o leitor por nocaute de argumentos, o ensaísta mostra em detalhes como o país foi brutalizado pela paranoia e mistificação a respeito de si mesmo, de tal maneira que se transformou em um grande “Carandiru intelectual”, o paraíso distópico onde a realidade brasileira gira em falso.

O BRASIL TEM CURA


Um livro excepcional. Destemidamente, mediante a análise perspicaz que faz do Brasil, desde a colonização à então democracia, Rachel fomenta o sentimento de indignação no leitor e, por conseguinte, encoraja-o a começar a transformação individualmente, uma vez que, como ela diz, "Quem está disposto a mudar o país precisa começar mudando a si mesmo, porque a cura da sociedade começa pela cura do indivíduo". Instiga-o, portanto, a não aguardar, de braços cruzados, o redentor, mas a começar, quanto antes, a redenção de nossa amada pátria!



GUIA POLITICAMENTE INCORRETO DOS PRESIDENTES

Conheça a história do Brasil e continue rindo.. Você sabe quem foram os presidentes que influenciaram de forma decisiva o destino da nação e fizeram esse Brasil em que a gente vive hoje? Cuidado! Será uma viagem sem volta em direção às paixões e a história dos nossos presidentes que, salvo raras exceções, foram um desastre como administradores, homens públicos e até como seres humanos. Com o habitual sarcasmo que só a família Politicamente Incorreta é capaz de trazer, além de muitas ilustrações, este livro desafia de forma divertida e inteligente mitos e verdades pré-concebidas. Uma narrativa envolvente sobre personagens reais, mesmo que eles às vezes pareçam saídas de histórias de terror. Ideal para o momento político em que milhões de pessoas vão às ruas para pedir o afastamento da presidente da República. Sobre o autor: Paulo Schmidt nasceu em São Paulo e estudou Art & Design em Nova York. É escritor, tradutor e ilustrador. Como editor, publicou livros de Victor Hugo, Alexandre Dumas e H. P. Lovecraft. Entre suas obras destaca-se o primeiro estudo em língua portuguesa sobre o famigerado assassino Jack, o Estripador.

JUNTO E MISTURADO — UMA ETNOGRAFIA DO PCC

Nesta obra, indicada por Paulo de Tarso, pesquisador sobre o sistema carcerário do país, no Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Unicamp, o leitor é apresentado ao universo do Primeiro Comando da Capital, o PCC. A leitura é necessária para entender o que acontece dentro dos presídios brasileiros, que nas últimas semanas têm sido palco de diversas rebeliões e massacres. De acordo com o pesquisador, o livro esclarece a incapacidade do Estado em controlar os presídios brasileiros e explica o desenvolvimento histórico da maior organização criminosa do Brasil. “Essas organizações, ao perceberem o afastamento do Estado de suas responsabilidades, passaram a se organizar e se articular como substitutos. Em simples palavras, fenômenos como o PCC são consequências da falta do governo de suas funções básicas no sistema carcerário”, diz o pesquisador

A MISÉRIA GOVERNADA ATRAVÉS DO SISTEMA PENAL

Outra indicação do pesquisador Paulo de Tarso é o livro “A miséria governada através do sistema penal”. Nesta obra, o especialista destaca a produção teórica do Instituto Carioca de Criminologia, sobre questões básicas do sistema carcerário brasileiro. De acordo com Tarso, essa obra permite entender a evolução dos problemas causados pela ausência de uma política pública nas prisões. Além disso, o livro apresenta o quadro da criminalização da pobreza. “O Estado idealizou que bastaria a população ter mais acesso econômico para resolver todas as questões sociais e criminais do país, mas não foi isso que aconteceu.”

JUVENTUDE E ENSINO MÉDIO

O governo Temer apresentou em setembro uma proposta para reformar o Ensino Médio no Brasil, que deve ser votada pelo Senado no começo de fevereiro. Para entender quais podem ser as consequências dessas mudanças na educação, o professor Marcos Villela Pereira, da Escola de Humanidades da PUCRS indicou o livro “Juventude e Ensino Médio”. De acordo com o especialista, essa obra pode auxiliar a comunicação entre professores e estudantes por apresentar um panorama dos jovens do país e questionar por que se deve repensar o Ensino Médio nos dias de hoje.


IMPEACHMENT: INSTRUMENTO DA DEMOCRACIA




Esta obra, indicada pelo professor de direito da PUCRS José Carlos M. da Silva Filho explica o processo do impeachment, pela visão de diversos advogados e juristas do Brasil. O livro esclarece os mecanismos e os conceitos judiciais usados para embasar o pedido e o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).



A DIFÍCIL DEMOCRACIA — REINVENTAR AS ESQUERDAS 


O processo de impeachment que se arrastou pelo ano de 2016 foi decisivo para consolidar o enfraquecimento do Partido dos Trabalhadores (PT) e auxiliar a ascensão de figuras políticas alinhadas com a direita. Por isso, para este ano, de acordo com o professor de direito da PUCRS, o desafio de partidos de esquerda é “reinventar o conceito e os posicionamentos desta política”. A obra indicada pelo especialista aborda este tema pela visão de um cientista político, que propõe uma reflexão sobre experiências sociais e políticas atualmente.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.