Ads Top

[RESENHA] A mansão do rio vermelho, Artur Laizo

ISBN-13: 9788542809466
ISBN-10: 8542809467
Ano: 2016 / Páginas: 368
Idioma: português 
Editora: Talentos Da Literatura Brasileira
Compre seu exemplar: Shoptime | Americanas | Submarino | Livraria Folha
► Avaliação: ۞۞۞۞۞

O aparecimento do corpo decapitado de uma jovem loira em um terreno baldio dá início a uma busca pelo assassino. Mobiliza a polícia e a população em busca da verdade. Seria mais um assassinato do serial killer do norte do país? Jaime é um psicólogo que adora mistérios e sabe quem é o verdadeiro autor de crime tão brutal. Mas ele é amigo do assassino. E, a cada dia que conhece a verdade, mais cresce o seu fascínio pelo novo morador da cidade, o milionário Frederich Augsparten. Jaime passa a frequentar “a Mansão do Rio Vermelho” e a conhecer todos os fatos que estão envolvidos na história da casa de mais de trezentos anos. Quanto mais se envolve com o vampiro, mais percebe que, para o seu próprio bem e o de sua amada Patrícia, não poderá deixá-lo nunca mais. No entanto, forças que poucos conhecem e dominam se mobilizam para pôr um fim à presença de Augsparten na pequena cidade de São Luiz. O que poderá impedir que o vampiro seja exterminado de uma vez por todas?

Vamos começar falando que eu não tenho ideia do que falar. A mansão do rio vermelho é simplesmente o melhor livro que já li. E não, não é bajulação, não é puxa saco, nem nada do tipo. É a realidade. 

A mansão do Rio vermelho possui um enredo concreto e bastante forte. Tudo começou em quando uma linda mulher loira foi encontrada decapitada em um terreno baldio por três jovens na cidade de São José. Nada acontecia naquele cidade, então, o acontecimento foi assunto mais discutido desde então. O pior de tudo era a forma minuciosa e cuidadosa que o executor da vítima teve ao desovar o corpo. Não havia manchas de sangue nem em seu corpo, nem no chão onde fora encontrada, e para piorar, a vítima não tinha uma afeição de quem sofria durante a execução, muito pelo contrário, seu semblante era de puro prazer, como se desejasse aquilo, ninguém nunca viu nada parecido, nem mesmo os responsáveis por analisar o caso.

Naquela cidadezinha repleta de pessoas interessantes, existem algumas que se destacam. Dentre elas, Jaime. Jaime é um psicólogo na casa dos vinte e cinco anos que mora com os pais, e que desde o início demonstra grande interesse pelo acontecimento na cidade e começa a abrir aspas e questões que necessitavam ser saciadas, afinal, os jornais não paravam de falar sobre.

Dentro daquela cidade pacata, havia outro fato que deixa a todos repletos de curiosidade. Uma mansão. Havia uma mansão intitulada "A mansão do rio vermelho", ela não ficava dentro da cidade, mas sim alguns quilômetros dali, e todos eram fissurados pela casa, não somente pelo seu tamanho e arquitetura, mas por todo seu contexto histórico e pelas conversas e ditos populares que afirmavam com toda certeza que o local era assombrado. O proprietário daquela belíssima mansão? Se chamava Frederich Augsparten. Ninguém sabia na verdade quem era, ele não saia de casa durante o dia, somente durante a noite.

Frederich é aquele tipo de personagem que te toma por completo. Ele é sedutor, carismático, manipulador e possui um sorriso maravilhoso [mente de leitor flui que é uma beleza]. Augsparten morava com um mordomo chamado Alfredo que segundo ele, sempre trabalhou em sua casa, desde mais novo até a idade avançada onde se encontrava. 

Frederich tinha costumes de visitar a cidade durante a noite, e entender suas visitas, amizades e poder sobre as pessoas irá ajudar-nos a compreender melhor o desenvolver desta história. Jean Brisvile foi sua primeira vítima, o motorista não teve como se render à aquele homem alto, branco de afeições impecáveis e bom estado. O ótimo perfume que exalava de Augsparten, sua fala mansa e direta e seu olhar penetrante, era quase que um convite a realizar todos os seus desejos. Presos ali naquele carro, no meio do nada, com um clima nas alturas e aquele perfume que inebriava qualquer um que o sentisse. Impossível resistir, e sucedeu que aconteceu algo dentro daquele carro que marcaria a vida de Jean dali para frente.

Augsparten em dado momento, tem sua vida cruzada com a de Jaime em um bar onde o jovem psicólogo costumava ir para tomar algumas cervejar com amigos, e partir daquele momento nasceu uma amizade entre ambos. De um lado, um milionário que se sentia só, que vivia longe de toda alta sociedade, e que era dono da mansão mais cobiçada em toda São José. Do outro lado, um psicólogo de vinte e cinco anos intrigado com os acontecimentos da cidade e com questões a serem resolvidas a respeito do amigo.

Esta foi a primeira impressão deixada por Augsparten no novo amigo:

— Só você acha. Mas ele é mais. Ele tem um olhar penetrante, ele lhe fala como se soubesse tudo o que você está pensando. Sabe conversar e tem uma cultura muito grande. É uma pessoa incrível. Gostei de tê-lo conhecido. (pág.33)

Nesta obra também iremos conhecer dois jornalistas extremamente xeretas.   Goretti e César. Ambos com uma curiosidade insaciável pelo novo morador das redondezas e por sua fantástica casa. O interesse de Goretti era desvendar quem era aquele homem, de quem foi a casa e outros mais. De acordo com algumas pesquisas, ele tinha mais de trezentos anos, e isso, é impossível. César é jornalista de uma tv local, alto, loiro e muito charmoso também, esta sempre como uma sombra ao lado de Goretti, que nem sempre é ética com o trabalho, ao menos era o que pensava Jaime ao saber que sua amiga jornalista tinha interesses no milionário. 

Durante o enredo iremos descobrindo novos personagens que são muito bem construídos com o passar da história. Amigos do personagem principal, família e e algumas pessoas da alta sociedade daquela cidade pacata. Aquela cidadezinha pequena escondia grandes segredos que a grande maioria desconhecia, um deles era a existência de bruxas no local - isso mesmo, bruxas - existe um conselho de cinco senhoras muito respeitadas na sociedade de São José que à anos são encarregadas de proteger o equilíbrio e segurança da cidade e de seus moradores a qualquer custo de toda e qualquer ameaça, e Augsparten era uma ameaça de nível terrível, visto que, o mesmo era um VAMPIRO.

Todos se sentem extremamente atraído por Augsparten. Era o tipo de pessoa que não saia de casa muito, mas quando saia, conquistava qualquer pessoa em fração de segundos, a magia que envolve seu corpo por conta dos seus poderes e sua manipulação mental causava um impacto de "paixão instantânea". Todos queriam sua atenção somente para si, todos desejavam o milionário em suas vidas, ainda que fosse apenas por alguns instantes.

É claro que o livro não foge do primeiro acontecimento, os investigadores e a cidade continuam a investir o responsável pela morte da jovem encontrada morta em um terreno baldio e outros acontecimentos estranhos que estavam acometendo aquela cidade pacata do interior. Afinal, todos estavam preocupados e não se fala mais em outra coisa, e ninguém tinha paz.

COMENTÁRIOS

Algo que me chamou extrema atenção foi o fato do autor possuir dois personagens com um poder psíquico muito forte, ambos com poderes sobrenaturais. Augsparten é vampiro, milionário, extremamente sedutor e consegue o que quer quando quer através de seu olhar penetrante e extremamente azulado. Do outro lado, temos Jaime, um jovem psicólogo que lida com emoções diariamente, problemas e conversas com pacientes. Jaime possui um controle sobre sua mente, em dado momento, trocando conversas com Augsparten o mesmo revela que ele só consegue ler na mente de Jaime, aquilo o que ele permite. Incrível como um autor consegue unir duas peças tão distintas em uma mesma equação.

Eu poderia jurar que a obra seria completamente clichê: O mocinho se sente ameaçado e começa a caçada contra o vampiro. Porém, acontece muito mais além daquilo o que imaginamos. Artur Laizo nos trás um material de extrema excelência editorial com qualidade em todos os sentidos possíveis. A construção minuciosa de seus personagens é notável, a construção dos acontecimentos sem se esquecer de nenhum detalhe ou personagem é algo que me fascinou muito, no início eram poucos os personagens, depois foram aparecendo várias pessoas da alta sociedade, amigos de Jaime, preocupações diferentes dentro da cidade, investigação no caso da loira assassinada e muitos outros - TODOS muito bem elaborados, explorados e relatados.


Vou ser sincero e dizer que eu nunca fui muito fã de fantasia e animais fantásticos, porém, a escrita de Artur Laizo foi tão cativante e impecável que conseguiu quebrar meu pré-conceito com relação a este gênero. 

O livro foi muito bem elaborado e escrito. A produção foi impecável, bem como sua diagramação e revisão. Este é o primeiro livro que leio que não encontro nenhum erro se quer nas escritas. O autor consegue com uma facilidade extrema alternar de um personagem para outro, bem como, de cenário e acontecimento para outro, tudo sem perder o foco e sem se esquecer de nenhuma aresta sem aparar.

O enredo é uma DELÍCIA. Talvez, o melhor livro que vocês irão conhecer este ano. A história é toda maravilhosa, e a escrita de Laizo nos faz acreditar que o sangue humano talvez de fato seja uma delícia [haha].

O livro foi cedido gentilmente pelo autor através de uma parceria firmada com nosso blog. 


SOBRE O AUTOR

Artur Laizo nasceu em 1960, em Conselheiro Lafaiete - MG, vive em Juiz de Fora há quase quatro décadas, onde também é médico cirurgião e professor. Escreveu seu primeiro livro, Lembranças do Oriente, aos 13 anos de idade. Apaixonado pelo poeta modernista, Manuel Bandeira, publicou cinco obras literárias entre poesias, crônicas e romances: Coisas da Noite - Poesias: Maloca Querida - Crônicas: É difícil morrer. Lembranças do Oriente; e a Festa Derradeira. Em 2016 lança o livro "A mansão do rio vermelho, pela editora Novo Século.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.