Ads Top

[RESENHA#108] A menina e o equilibrista — Bruno Felix


GÊNERO: Romance 
ISBN: 978-85-5833-165-9 | ANO: 2017
FORMATO: 14X21
PÁGINAS:  184 | Pólen Bold 90gr
SELO: Lampejos
— E de que vale um pecado absolvido, àquele que já não crê no mistério de Deus?

Antônio é um advogado que acabara de se mudar para sua nova nova e vive as dificuldades enfrentadas pela vida, com o coração abalado e com a fé dissolvida em meio á tragédias, vê-se descrente e sem propósitos para viver, levando-o diretamente para a ponte da cidade — o lugar mais alto, livre de falhas ou arrependimentos, aquilo seria sua despedida para o desgosto da que a vida havia acabado se tornar — até que algo curioso acontece, uma garotinha negra usando um vestido florido se aproxima, e após menos de um minuto, seus planos mudam por completo.

Angelina era seu nome, doce, singela com sete lindos anos de idade. Aproximou-se de Antônio junto á ponte e perguntou-lhes o que ele estava fazendo, porém, para não assustar a garotinha, Antônio diz-lhes ser um equilibrista e que fazia aquilo nas horas vagas por que era algo que praticava desde pequeno. Agora, cativado pela doçura da garota, Antônio parte para uma jornada de descobertas internas e externas acerca da vida, do amor e da fé.

Onde está o sentido de todas as coisas? No equilíbrio. Talvez no equilíbrio entre o amor e fé, e para isso, é preciso renascer do que você foi ontem e deixar para trás tudo o que você possuía e começar a valorizar o que você possuí agora.

— Porque eu acabei me lembrando justamente do dia em que eu perdi o equilíbrio.

A narrativa agridoce de Bruno Felix entre os percalços da vida enfrentados por Antônio e a doçura demonstrada por Angelina, traz-nos a tona um sentimento de compaixão e de fé Divina com relação ao nosso parecer, quando apresentamos estar sozinhos, desiludidos e até mesmo desconexos do que fomos outrora. Quando nos perdemos do que tínhamos, do que possuíamos ou até mesmo daquilo que almejávamos ter, entramos em um declínio setorial, que afeta todos os setores de nossa vida, que agora, acabara de se tornar sem sentido e sem propósitos, por que nada mais frustra o homem do que a desilusão.

Permeando entre o gosto do desgosto, o sabor da ausência de adrenalina e os percalços enfrentados pela desilusão de uma fé que agora encontra-se abatida, Bruno Felix convida-nos a experimentar um lado alternativo e paralelo que ao qual gostaríamos de nos encontrar: O caminho do milagre, aquele ao qual somos submetidos diariamente, porém, não sabemos reconhecer nas pequenas oportunidades da vida um propósito maior do que nós para viver, que tudo é questão de ponto de vista e que reconhecer aquilo o que se tem antes de lamentar o que se tinha é crucial para entendermos como a vida se dá de fato, e não como pensávamos como ela fosse.

— Então, quando você acorda e faz esse balanço do que possui de bom é como se renascesse, concorda? Porque nos somos o que somos agora. Não o que fomos ontem ou o que tivemos ontem. 

"O que para você pode parecer fácil, para outras pessoas pode parecer bastante difícil" — Ao mesmo momento que experimentamos da doce visão de uma doce garota, somos convidados à conhecer o mundo em que se encontra Antônio, onde sua vida se encontra cinza, sem grandes emoções ou expectativa de melhoras. A decisão de jogar-se do prédio estava quase que concretizada, por que mudara o rumo de sua decisão para dar ouvidos àquela garotinha?


(...) São nos momentos de sofrimento em que as pessoas mais se aproximam uma das outras. 

A narrativa que poderia se limitar ao encontro da garotinha com o jovem advogado, agora permeava entre situações, momentos e lugares onde outras pessoas encontravam-se em um estado ou memento semelhantes ou piores que os de Antônio, pessoas que morreriam aos poucos afogados pela mágoa, pela culpa ou até mesmo pela desilusão. Antônio era guiado por uma aventura desconhecida ao lado de uma garotinha ao encontro de pessoas que necessitavam tanto de sua ajuda, quanto Antônio precisou da ajuda e compaixão de Angelina.

No decorrer do enredo, iremos conhecer também a história da pequena Angelina. Afinal das contas, como foi que ela foi parar naquela ponte em uma quarta feira morna de um outubro qualquer ao lado de um "quase-suicida"?. Iremos conhecer também uma figura bastante sábia e repleta de boas intenções e muito amor para dar e receber, vó Laura. 

A concreticidade dos fatos, agora mistura-se a um milhão de outros sentimentos que transitam entre a necessidade de reconhecermos uma oportunidade todos os dias de nossa vida para tornarmos os nossos desesperos em afagos pela vida.

COMENTÁRIOS PESSOAIS



A decisão de Bruno Felix em publicar este livro, trouxe-nos para um universo melhor acerca das descobertas internas que se intensificam em nosso exterior e prolongam-se por nossos dias, dando-nos a compreensão e visão de que nem tudo está perdido, e que todos nós estamos à um passo de experimentarmos do milagre — definitivamente — e encontrarmos em nossa existência momentos de reflexão acerca daquilo o que podemos sentir e relevar em nosso dia-a-dia.

Um livro com um enredo simples, porém, muito bem trabalhado e construído. Situações diversas, porém, todas com o mesmo intuito: Mostrar para Antônio que havia outras pessoas que estavam com a vida tão amargurada quanto a dele, e que problemas, dificuldades e perdas, são situações às quais todos nós estamos submetidos a qualquer hora do nosso dia, afinal, essa é a vida, porém, ele teve a oportunidade de experimentar ser instrumento de ajuda, socorro e auxílio na vida de quem necessitava, assim como Angelina era o instrumento que o ajudara naquele momento e mostrava-lhe o que a vida tinha de melhor para oferecer.

(...) Ela agradeceu-me, dizendo que eu lhe salvara a vida, sem saber que na verdade era ela quem havia acabado de me salvar.

Assim que finalizei esta leitura, não tive duvidas quanto à minha convicção em pronunciar uma frase simples, porém, com um impacto tão grande: Este tornou-se meu livro favorito. Difícil explicitar de forma objetiva o porque, porém, quando encontramos um livro que muda nosso interior e nos apresenta uma vida alternativa, nosso caminho torna-se mais fácil e nossa compreensão acerca de momentos e dificuldades se intensificam, fazendo-me acreditar que este livro chegou em boa hora.

A edição encontra-se impecável em todos os sentidos possíveis, a revisão está perfeita. O livro foi publicado pela "Lampejos", selo editorial de romances da Editora Penalux, composto por papel Pólen Soft 80g/m², composto por Electra Lt.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.