Header Ads

Editora consegue suporte de leitores para reeditar livro de Dalcídio Jurandir





No dia 7 de Abril a Editora Pará.grafo, situado no nordeste do Pará, iniciou uma campanha de financiamento coletivo no Catarse, no intuito de reeditar a obra Ponte do Galo do escritor Dalcídio Jurandir.

Sem edição há 46 anos, Ponte do Galo é o sétimo romance dos dez que formam o chamado Ciclo do Extremo-Norte e foi publicado em 1971 pela Editora Martins/MEC. O livro é dividido em duas partes que se passam em Cachoeira (Ilha do Marajó) e Belém, respectivamente, e narra a história de Alfredo, menino marajoara que sonha em ir para a cidade grande continuar seus estudos. Dalcídio explora na sua obra a região e seus habitantes, dando ênfase ao ser humano, seus medos, angústias, sentimentos e sobrevivência.





Perguntado sobre a importância do projeto de reedição do livro, um dos organizadores, o artista Denis Girotto, nos deu cinco bons motivos para a reedição do livro:


1. Em Ponte do Galo, Dalcídio explora a região amazônica e seus habitantes (tema pouco explorado na literatura brasileira), dando ênfase ao ser humano, seus medos, angústias, sentimentos e sobrevivência. É uma literatura que vai além do simples retrato da Amazônia. O autor revela outro mundo, das pessoas comuns, caboclos, ribeirinhos, de uma vila no meio de uma ilha e introspecções e desejos. São emblemas humanos que circundam sua narrativa. 

2. A literatura de Dalcídio Jurandir é objeto de estudo dentro e fora do Brasil. Sua “escrita aquosa” foi tema de diversos artigos, dissertações e teses. 

3. O conjunto de sua obra lhe rendeu, em 1972, o Prêmio Machado de Assis da Academia Brasileira de Letas. Além disso, três dos seus romances foram premiados em seus respectivos lançamentos. 

4. Ponte do Galo é o sétimo romance dos dez que formam o chamado Ciclo do Extremo-Norte e foi publicado em 1971. Desde então, nunca foi reeditado e acabou se tornando uma obra rara, difícil de encontrar até mesmo em sebos. 

5. Pela primeira vez um livro de Dalcídio Jurandir será publicado também em e-book e com ilustrações no miolo. Essa nova edição de Ponte do Galo será ilustrada pela artista plástica Paloma Franca Amorim.



Para muitos, por seu regionalismo e pela representação do seu estado na sua obra, Dalcídio Jurandir é para o Pará assim como Jorge Amado é para a Bahia.

Nesta segunda-feira, 15 de maio, a campanha alcançou a sua meta de 100% de doações para a reedição, e agora o livro já pode ser adquirido no site Catarse na pré-venda. (Você pode adquirir o seu clicando aqui). 

E aí leitores, gostaram da notícia? Deixem suas impressões nos comentários. 
Tecnologia do Blogger.