Header Ads

[RESENHA#116] O casal que mora ao lado — Shari Lapena


ISBN-13: 9788501109545
ISBN-10: 8501109541
Ano: 2017 / Páginas: 294
Idioma: português 
Editora: Record
Compre: AmazonSubmarino | Americanas 


É o aniversário de Graham, e sua esposa, Cynthia, convida os vizinhos, Anne e Marco Conti, para um jantar. Marco acha que isso será bom para a esposa; afinal, ela quase nunca sai de casa desde o nascimento de Cora e da depressão pós-parto. Porém, Cynthia pediu que não levassem a filha. Ela simplesmente não suporta crianças chorando. Marco garante que a bebê vai ficar bem dormindo em seu berço. Afinal, eles moram na casa ao lado. Podem levar a babá eletrônica e se revezar para dar uma olhada na filha. Tudo vai dar certo. Porém, ao voltarem para a casa, a porta da frente está aberta; Cora desapareceu. Logo o rapto da filha faz Anne e Marco se envolverem em uma teia de mentiras, que traz à tona segredos aterradores.


O que você faria se seu filho desaparecesse no meio da noite? Anne e Marco Conti passaram por esta aflição. Em um dia qualquer, o casal é convidado à celebrar o aniversário do vizinho Grahan, juntamente com sua esposa. Porém, com um detalhe, Cynthia — mulher de Grahan e anfitriã da festa — não gosta de crianças e irrita-se facilmente com o choro delas, e por este motivo, pediu à família Conti que deixasse seu bebê em casa. Vendo-se sem saída, ambos topam meio receosos, mesmo tendo um plano em mente: Vigiar a filha de meia em meia hora através de uma babá eletrônica e visita-la revezadamente a cada meia hora durante a noite.

Porém, ao voltarem para casa o casal nota algo de estranho na casa, a porta da frente encontrava-se aberta, porém, Cynthia jurava ter fechado a porta quando foi ver a filha à meia noite e meia, e partir dai, começa o terror e a polícia é acionada. 


Havia seis meses desde o nascimento de Cora, ela foi a alegria da casa após sua mãe — Anne Conti — desenvolver uma leve depressão pós parto de estágio 1, recusando ajuda de qualquer pessoa e se autoflagelando. O inesperado aconteceu, e agora, a polícia e todo grupo investigativo suspeita unicamente dos pais.

Rasbach é o detetive encarregado de solucionar este aparente sequestro minuciosamente planejado, e conta com à ajuda do detetive Jennings. Cynthia sofrera de depressão pós-parto de grau leve, o que à coloca na lista de suspeitos dos detetives que estão encarregados do cargo, juntamente com Marco, que foi o primeiro a apresentar-se a favor da ideia de deixar a filha de seis meses sozinha em casa enquanto iam à uma festa de embebedar com os vizinhos. 

Cynthia vem de uma família extremamente rica, seus pais possuem fábricas e alguns milhões na conta bancária, o que os coloca também dentro de uma das diversas possibilidades dentro do sequestro, afinal, o intuito do sequestrador poderia ter sido o dinheiro da família da mãe da criança, Cora.

Em um misto de desilusão por parte dos investigadores, e a fé da mãe, dá-se uma história onde cria-se uma teia de situações, onde diversas pessoas narram um cenário aterrorizante acerca do sequestro de uma criança de seis anos de idade, criando um thriller fantástico acerca de uma das pesquisas mais bem elaboradas e escritas desde Agatha Christie, simplesmente incrível.

A escrita de Shari Lapena é minuciosa em todos os aspectos, a autora conseguiu criar um thriller que instiga nosso desejo por ler sempre cada vez mais, onde os protagonistas e as cenas que os sucedem criam um cenário extremamente atrativo, onde nos vemos como simples criaturas indefesas de uma escrita visceral, onde não temos escapatória.

O livro apresenta-nos não somente os protagonistas da família Conti e os envolvidos na investigação, ele também permeia sobre a vida da família de Anne, composta por Alice e Richard Dries. Conheceremos um pouco de suas frustrações, seus medos, sonhos, vontades e suas reais intenções. Cada personagem apresentado ao leitor é uma carta nova imposta na mesa, onde nunca saberemos o que fazer com ela: Qual será o próximo passo à ser dado? Dar um palpite ou pensar mais um pouco? O óbvio à esta altura não parece mais tão óbvio de levarmos em consideração todos os pontos de pesquisa, testemunhas e pistas envolvidas.

COMENTÁRIOS PESSOAIS

O livro "O casal que mora ao lado", chegou até nossa redação enviado diretamente pelo Grupo Editorial Record. Honestamente, eu não fazia ideia do que esperar do livro, visto que o mesmo indagava-nos acerca de diversos tópicos antes mesmo de iniciar a leitura. Na capa do traseira do livro iremos nos deparar com um breve resumo da obra, o que aguça intensamente nossa vontade de saber o desenvolver do livro.

Shari Lapena possui uma escrita e um dom prolífico em desenvolver uma história instigante e intrigante, onde os personagens e a sucessão de fatos é imprevisível e inquestionável. Quando cheguei na página de número 90, eu tinha diversas teorias do que poderia ter acontecido, porém, nada do que me passava ocorreu, tudo foi jogado aos ventos — E isso me surpreendeu tremendamente — Um Thriller que instiga-nos e provoca-nos a um intenso desafio de desvendar o mistério juntamente com Rasbach e o detetive Jennings.

O final da obra é fantástico, tão fantástico quanto o enredo é trabalhado. O livro é um dos lançamentos deste mês do grupo editorial recod e trás a tona um dos melhores livros de ficção policial já publicados desde Agatha Christie ou Dror Mishani. Incrível.

Sentir o desespero da mãe, o suar do pai, as suspeitas do policial e os gritos de horror de todos é desesperador para o interlocutor, que assistir à uma desgraça sem precedentes, sem poder fazer nada, a não ser torcer para que tudo termine bem.

SOBRE O AUTOR

Shari Lapena trabalhou como advogada e como professora de inglês antes de escrever ficção. Seu thriller de estréia, The Couple Next Door foi um best-seller global e seus direitos de publicação em língua portuguesa foram adquiridos no Brasil unicamente pela editora Record.
Tecnologia do Blogger.